Vitória da ala lulista
A candidatura de Luizianne Lins é uma vitória importante do Partido dos Trabalhadores das garras da oligarquia dos Ferreira Gomes
lins
A deputada é uma critica da chamada Frente ampla com os golpistas | Foto: reprodução

Nesse domingo (6/7) a Diterório Municipal do Partido dos Trabalhadores em Forteleza (CE) deu um importante passo na direção de colocar o partido em uma política independente, derrotando a ala ligada aos Ferreira Gomes, lançando a candidatura de Luizianne Lins a candidata à prefeitura da capital cearense. A candidata atua hoje como Deputada Federal, e faz parte da ala lulista do partido. 

A candidatura de Luizianne contrasta com a política do atual governador do Ceará, Camilo Santana, marcando uma importante vitória da esquerda do PT. Santana é um adepto declarado da Frente Ampla, da “grande unidade” de “todos os setores” sob pretexto de lutar contra Bolsonaro. Só que isto é apenas uma fachada do governador. É sabido que Camilo é um homem mais próximo do PDT, que apenas se vale da sigla do PT como uma espécie de barriga de aluguel para continuar e ter alguma chance de vitória no pleito.  

Nas eleições de 2018, esse Diário já havia denunciado que a presença de Camilo Santana no pleito e a sua vitória para governador era, única e exclusivamente, a vitória da oligarquia dos Ferreira Gomes usando o PT como sigla, já que a sigla do próprio PDT, que já era mais que vista como uma sigla dominada pelos coronéis do Ceará, como Ciro Gomes. A manobra evidencia e realidade da tal “popularidade” de Ciro Gomes, onde para continuar governando no estado que sua família domina, teve que mudar de rosto e de partido para não ser reconhecido pela população. 

O que evidencia mais ainda que a manobra foi um golpe impopular e que segue uma luta interna no PT para desfazer as amarras impostas pelos abutres do Ceará são as próprias declarações de Lins. A candidatada já declarou que se lançou para unir forças contra o Bolsonaro, de fato, e não quer saber de alianças com golpistas como Ciro Gomes. Nas palavras dela, o Ciro “só faz showzinho” contra o PT e contra Lula, e por isso é extremamente dispensável.  

Uma matéria do jornal burguês Diário do Nordeste, ligado à oligarquia local, deixou bem claro que vai na contramão dos planos da burguesia essa vitória da esquerda. Onde, na opinião do jornal, a candidata atrapalha o plano do PDT, dos Ferreira Gomes, em administrar a capital cearense para manter o controle do aparato do Estado na região. 

A candidatura anti-frente amplista e em defesa da campanha pelo fora Bolsonaro é um passo importante e uma vitória significativa para uma política independente que leve a cabo uma luta real pela derrubada da extrema-direita do poder, tirando de cena os quinta coluna que ficam a reboque de coronéis que tentam se passar de esquerda, mas não passam de sustentáculos do governo Bolsonaro. 

Relacionadas