Siga o DCO nas redes sociais

Tentativa de contrariar a base
Ala direita do PT critica discurso de Lula
Dono de posições como “o PT deve pedir desculpas pela corrupção”, o senador Humberto Costa critica tom radicalizado no discurso de Lula e fala sobre preparar-se para a eleição
humberto-costa
Tentativa de contrariar a base
Ala direita do PT critica discurso de Lula
Dono de posições como “o PT deve pedir desculpas pela corrupção”, o senador Humberto Costa critica tom radicalizado no discurso de Lula e fala sobre preparar-se para a eleição
Humberto Costa (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
humberto-costa
Humberto Costa (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Como já dito anteriormente por este jornal, a saída de Lula da prisão, junto a sua viagem pelo Brasil, muito contribuem para o aumento da polarização política no país. Lula é defendido pela ampla maioria da população brasileira e internacional, além de ser visto como a figura que canaliza sob sua pessoa a personificação da luta contra o golpe.

O país hoje passa por um dos mais duros períodos das últimas décadas, liderado pelo fascista Jair Bolsonaro, a política neoliberal de devastação nacional e total entrega ao imperialismo leva a nação para um abismo sem fim. Se por um lado Bolsonaro representa esta política, naturalmente o principal nome do partido derrubado pelo golpe de Estado se faz presente como a grande oposição a tudo que está acontecendo.

Lula, e com o aumento da polarização isto fica ainda mais evidente, está no lado oposto a Bolsonaro na balança da política nacional, e por isso precisou ser preso pelo golpe de Estado. Contudo, sua soltura, após forte intensificação da mobilização popular e da crise no regime golpista, refletem a necessidade urgente em que a burguesia e o imperialismo tem em controlar a situação. Soltar Lula foi a única medida cabível para tentar acalmar o povo revoltado com o regime político. Sendo assim, deve-se ficar claro para qualquer um que deseje prosseguir na luta contra o golpe que qualquer discurso feito na tentativa de acalmar os ânimos, partir para uma conciliação, nada mais refletem que o próprio interesse dos golpistas, da direita fascista e do imperialismo.

Com esta percepção, notamos sem nenhuma dificuldade o papel calhorda em que a ala direita do PT, dessa vez representada pelo senador Humberto Costa, que cumpre o papel vergonhoso de, ao invés de apoiar firmemente Lula e radicalizar a luta aproveitando sua soltura, na realidade busca jogar panos quentes na situação, contornar a crise política e dizer para quem quiser ouvir que “Lula elevou o tom no discurso” mas “nós devemos buscar o diálogo com o país” (em “país” leia-se golpistas).

Humberto sequer busca esconder a razão de dizer isso, mais tarde na mesma entrevista à Folha de São Paulo, um dos principais jornais do golpe, ele esclarece que o PT deve seguir este caminho para “sair de sua bolha” e “conquistar” outros setores nas eleições que estão por vir no próximo ano.

Por “sair de sua bolha” Humberto Costa quer dizer que o PT necessita fazer amplos acordos com o próprio golpe, tendo em vista as eleições e a dita “necessidade” de se eleger candidatos como ele e a ala direita do PT, que em todo este período, de nada fizeram para tirar Lula da cadeia e combater o golpe, no mais, só se preocupam em garantir o cargo público, afogando a revolta popular expressa durante todo o ano.

Durante a mesma entrevista, o senador diz que Lula teria o apoio de apenas um terço da sociedade, e que por isso o PT deveria se abrir a negociações como forma de garantir acesso ao que ele chama ser “50% da população”. No entanto, tal declaração de nada reflete a situação política no país.

Propositalmente esquecida pela ala direita do PT, as eleições de 2018 que elegeram Jair Bolsonaro são a representação que mais denota o tamanho da popularidade de Lula. Nesta eleição, Lula enquanto candidato era de longe o favorito a ganhá-la, sendo colocado por muitos como possível vitorioso até mesmo no primeiro turno. Logo, para eleger Bolsonaro foi necessário retirar de maneira ilegal o favorito disparado, o primeiro colocado das eleições, concretizando uma fraude histórica.

Assim, foi demonstrado o tamanho da força política de Lula e o incômodo que o mesmo gera aos golpistas. Lula não representa 1/3 do povo, mas sim sua ampla maioria, se não fosse o caso, Lula jamais conseguiria o feito de aumentar a polarização política do país contra o golpe e Bolsonaro.

Além do mais, Humberto Costa e suas declarações surge em um momento onde a ala direita do PT agarra-se desesperadamente às eleições como forma de conter a radicalização dentro de seu próprio partido. A base petista, caracterizada como a ala esquerda do partido, foi uma das maiores responsáveis por manterem a chama da política pela Liberdade de Lula e contra o golpe acesas na esquerda brasileira. Esta base está disposta a garantir na marra a anulação de todos os processos contra o ex-presidente, de derrubar Bolsonaro, etc.

Por isso, ao contrário do que Humberto Costa fala, precisamos sim radicalizar tanto no discurso quanto em nossas ações. Tendo em vista tudo o que ocorre na América Latina, este é o momento mais propício para o povo brasileiro se levantar e acabar de uma vez por todas com o regime golpista, não podemos desperdiçar essa chance e aderir as eleições controladas pela ditadura golpista. Às ruas para garantir a Liberdade de Lula e a Anulação de Todos os Processos. Fora Bolsonaro, Eleições Gerais com Lula candidato!