Apoiando seus carrascos
Deputados do PT agora afirmam que apoiaram Baleia Rossi porque esse teria se comprometido a aprovar o impeachment de Bolsonaro, mas Baleia já saiu a público negando o compromisso
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
baleia-rossi-e-temer
Baleia Rossi ao lado de seu padrinho, Michel Temer | Foto: Reprodução

O apoio que os deputados do PT declararam a Baleia Rossi (MDB), candidato de Rodrigo Maia (DEM) para a presidência da Câmara, gerou uma crise gigantesca no partido, opondo a base militante do partido a esses parlamentares, que apoiaram o direitista com a intenção de obter apenas um mísero cargo na mesa diretora da Câmara. Diversos setores mais ligados às bases do partido já se manifestaram negativamente a isso, o que fez com que os deputados petistas precisassem justificar esse apoio esdrúxulo.

A primeira justificativa apresentada pelos parlamentares era bastante genérica: segundo eles, o deputado Baleia Rossi, junto com o seu bloco de apoio de 11 partidos, que inclui diversos partidos da direita golpista como MDB ou PSDB, seria a favor da “democracia”, em oposição a Arthur Lira (Progressistas), apoiado por Bolsonaro e, por isso, “anti-democrático”. É importante ressaltar que esse argumento não faz o mínimo sentido, visto que a quase totalidade dos deputados que estão nesse bloco votaram a favor do impeachment de Dilma Rousseff, contribuindo de forma decisiva para o golpe de estado no Brasil.

Agora, o argumento colocado por eles é que o apoio que o PT deu a Baleia foi em troca de uma suposta “promessa” de sua parte de que ele iria encaminhar algum pedido de impeachment contra Bolsonaro. No entanto, em entrevista à Folha de São Paulo, Baleia afirmou que “não há nenhum compromisso, como muitos falam, de abertura de impeachment. É uma mentira”. Gleisi Hoffmann logo foi às redes sociais cobrá-lo da suposta promessa, dizendo que dar resposta a crimes do Executivo” faz parte do compromisso de Baleia com a esquerda. Posteriormente, Baleia teria telefonado a Gleisi para conversar. Após a ligação, ele afirmou em suas redes: “Falei com a presidente Gleisi. Ressaltei que vou honrar cada compromisso firmado com os partidos de oposição, o que inclui usar todos instrumentos constitucionais em defesa da democracia. Antecipar juízos agora não ajuda”.

Tudo isso não passa de um grande jogo de cena, obviamente. Na carta de compromissos escrita pela esquerda para Baleia Rossi, se fala em analisar novos pedidos de impeachment, caso haja indícios de crime de responsabilidade, mas não há a exigência que Baleia dê andamento aos pedidos já existentes. Ou seja, caso eleito para a presidẽncia da Câmara, Baleia fará o mesmo que seu predecessor Rodrigo Maia e não dará andamento a nenhum pedido de impeachment contra Bolsonaro, sob a simples justificativa de que ele não vê “crimes de responsabilidade” em qualquer ação criminosa tomada pelo governo federal.

O deputado do PT de São Paulo, Carlos Zarattini, sai em defesa de Gleisi dizendo:

“Acho que a Gleisi reafirmou o nosso texto, que é apoiado por toda a oposição, e prevê que num caso de crime de responsabilidade, seja aberto um processo. Nós não estamos dizendo aqui que ele vai aprovar, só (pedimos) que seja encaminhado.”

Trata-se de uma posição totalmente defensiva, já abrindo mão, inclusive, da aprovação do impeachment dopresidente de extrema-direita. Isso mostra que não há nada dessa natureza realmente acertado, é apenas uma “enrolação” para procurar manter a base do PT menos incomodada com a “baixaria” levada adiante no Congresso por seus deputados. O deputado ainda reafirma que está de acordo com o apoio dado a Baleia:

“É evidente que, na situação em que nós estamos, é difícil voltar atrás (no apoio a Baleia). Estamos avançando para uma disputa que vai se tornar mais aguda.”

Toda essa enrolação é ainda auxiliada por Baleia, que procurou dar mostras de seu compromisso com a democracia, ao telefonar para Gleisi e se justificar em suas redes sociais, como foi relatado acima. Ou seja, estão todos em conluio para enganar a população.

A crise gerada por essa política maluca da ala direita do PT é uma mostra da situação explosiva em que vivemos. É preciso denunciar enfaticamente que o ganho de cargos não pode ser mais importante do que a luta contra o golpe. Além de a ação dos deputados se constituir em uma verdadeira desmoralização, tem o agravante de confundir a população. O correto seria quetoda a esquerda se empenhasse em estabelecer uma diferenciação clara entre eles e os golpistas, e isso é particularmente grave no caso do PT porque é o partido atingido diretamente pelo golpe de estado.

Além disso, deve-se comentar que é totalmente absurda a colocação de que o bloco de Rodrigo Maia e Baleia Rossi está em oposição a Bolsonaro. Além do fato de que Baleia votou em 90% dos casos junto com o governo, é importante lembrar que eles foram os responsáveis pelo golpe de estado que derrubou Dilma, que prendeu Lula e, finalmente, colocou Bolsonaro no poder, são os verdadeiros “pais” de Bolsonaro. No fim das contas, os deputados do PT estão apoiando os seus carrascos em troca de migalhas, o que consiste em uma política verdadeiramente suicida. É natural que as bases do partido estejam se colocando contra isso, visto que se sentem traídas por deputados que nunca fizeram nada no processo de luta contra o golpe e agora ainda apoiam os setores que os golpearam.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas