Dois pesos duas medidas
A família Marinho, dona do Grupo Globo e grande defensora da Lava-Jato, está na delação do doleiro Dario Messer. Para este caso, no entanto, a Globo exige que sejam exibidas provas
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
joao-roberto-roberto-irineu-e-jose-roberto-os-irmaos-marinho-1597487687373_v2_1289x720
João Roberto, Roberto Irineu e José Roberto, os irmãos Marinho | Foto: Cesar Alves/Globo

A família Marinho, dona da Rede Globo, acaba de figurar em meio a uma delação do doleiro Dario Messer, apelidado de “doleiro dos doleiros”. Quem destacou a menção dos irmãos Roberto Irineu Marinho (Presidente do Conselho de Administração do Grupo Globo), e João Roberto Marinho  (vice-presidente do Grupo Globo) foi a revista Veja, em matéria publicada na última sexta-feira (14).

Segundo a matéria, Messer relata em seu depoimento que vinha realizando repasses de dólares em espécie para os irmãos Marinho desde os anos 90. O doleiro afirmou que eram entregues remessas que podiam variar entre 50 mil e 300 mil dólares. Os valores eram compensados no exterior através de uma conta no Banco Safra de Nova Iorque gerenciada por Celso Barizon, que teria sido o intermediário dos Marinho para a contratação dos serviços do doleiro.

A assessoria dos irmãos Marinho naturalmente nega que eles tenham contas no exterior não declaradas às autoridades brasileiras e que também que tenham realizado operações de câmbio ilegais. O mais curioso de toda a situação é que o principal argumento apresentado pelos donos do conglomerado é que Dario Messer não apresenta nenhuma prova de suas acusações, o que as tornaria inválidas. 

A ausência de provas, no entanto, não era argumento válido quando se tratava do processo absurdo conduzido contra o ex-presidente Lula, que foi tão exaltado e noticiado pela emissora Rede Globo durante o período da ofensiva da Operação Lava-Jato contra o líder petista. 

A total falta de fundamento dos processos movidos contra o ex-presidente é flagrante e está evidente a perseguição política financiada e organizada pelo imperialismo e seus representantes no Brasil. No entanto, nada disso foi mencionado na extensa cobertura que os canais de comunicação do Grupo Globo fizeram a respeito do caso, em particular no período que precedeu a sua prisão e durante as eleições de 2018.

O próprio ex-presidente comentou a os dois pesos e duas medidas da Globo em suas redes sociais: “A Globo e os Marinhos querem com a delação de Messer a cautela e a presunção de inocência que jamais deram a Lula – mesmo sabendo que as delações contra Lula eram falsas, como foi reconhecido até pela PF”, disse o petista em nome de sua equipe. A delação de Palocci, que foi descartada pelo próprio STF como sendo tendenciosa recebeu cobertura de mais de 8 minutos no Jornal Nacional da Globo.

Os métodos lavajatistas de investigação e condenação não devem ser apoiados por ninguém, por possibilitarem as delações conseguidas através da intimidação e da tortura (psicológica ou até física), no entanto é necessário salientar a incoerência da Rede Globo ao tratar da questão do doleiro Dario Messer quando comparada com as delações obtidas pela força-tarefa contra Lula, Dilma e outras lideranças do PT, condenadas injustamente e sem provas. Nesse sentido, é necessário que a população saia às ruas exigindo o fim da Lava-Jato e a absolvição de todos os presos políticos por ela condenados. Além da restituição de todos os direitos políticos de Lula.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Relacionadas