Acusação requentada: imperialismo acusa Rússia de ter interferido nas eleições dos EUA

trump1

A Comissão de Serviços Secretos do Senado dos EUA concluiu nesta quarta-feira que “não há dúvidas” de que a Rússia tentou interferir nas eleições presidenciais norte-americanas de 2016. O argumento seria que os russos tiveram objetivo de favorecer a campanha do agora presidente Donald Trump.

Depois de ouvir a portas fechadas vários responsáveis das agências de informação norte-americanas, os líderes da comissão, o republicano Richard Burr e o democrata Mark Warner, emitiram um comunicado onde dizem que concordam com as conclusões das agências sobre a investigação à alegada interferência russa: “A nossa equipe concluiu que as conclusões [das agências de informação] eram precisas e estavam no ponto.”

Lembrando brevemente, houve a pouco a demissão do chefe da diplomacia, Rex Tillerson, para colocar o diretor da CIA, Mike Pompeo, em seu lugar e pelo que aparece as agressões podem continuar aumentando para derrubar o presidente fascista.

Assim, o imperialismo em crise dá sinais que vai aumentar as agressões ao presidente que anteriormente não era o favorito dos banqueiros para assumir o cargo (sendo a escolhida, Hillary Clinton). Colocaram em jogo a algum tempo a possibilidade de um impeachment contra Trump, sob a acusação de envolvimento com a Rússia e sua intervenção nas eleições norte-americanas, agora vão vir com tudo pois querem substituir o direitista para colocarem o governo que não conseguiram eleger.