Consolidar o golpe
Setores da esquerda atendem os pedidos da direita golpista para isolar Lula e o PT e consolidar o golpe de estado em 2016
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
ACM-Neto-e-Jaques-Wagner-3
Jaques Wagner que tem uma política de acordo com a direita 'civilizada' de ACM Neto na Bahia | Foto: reprodução

As eleições municipais de 2020 foram encerradas, menos no estado do Amapá devido ao apagão em que vive a população, e os ataques contra o Partido dos Trabalhadores e ao ex-presidente Lula se intensificaram.

A burguesia golpista conseguiu seu objetivo no período eleitoral de “derrotar” o bolsonarismo, retomando aos partidos da direita tradicional que ajudaram a colocar Jair Bolsonaro na presidência, como DEM, PSD, PP e MDB. Outro objetivo atingido foi de isolar o PT e sua ala ligada a Lula, causando uma enorme derrota eleitoral, e através de muita propaganda de ‘criar’ novas lideranças da esquerda domesticada, como Guilherme Boulos (PSOL) e Manuela D`Ávila (PCdoB).

Após as eleições, essa mesma burguesia partiu para cima do PT para colocar a culpa da derrota no ex-presidente Lula e na ala petista que é contra a frente ampla com a direita golpista e que insiste no nome de Lula para as eleições e na mobilização popular.

Direita culpa Lula e o PT pelo fracasso nas eleições

A direita se aproveitou do resultado eleitoral para partir para cima do PT e de Lula. Os principais porta-vozes da burguesia e dos golpistas, sabendo que a esquerda pequeno burguesa não possui uma política própria e vão a reboque da sua política, publicaram uma série de matérias para aniquilar contrários a frente ampla e ligado aos trabalhadores.

A golpista Folha de S.Paulo fez um balanço sobre as eleições e o PT dizendo que: “não venceu em nenhuma capital, a primeira vez que isso ocorreu em sua história”, “deu vexame em São Paulo, ficando apenas na sexta posição”, “fez apostas erradas em candidatos da velha guarda, como Benedita da Silva no Rio de Janeiro, Luizianne Lins em Fortaleza e Nilmário Miranda em Belo Horizonte” e “viu a força de Lula se dissipar e surgir uma nova referência na esquerda, Guilherme Boulos do PSOL”.

A Veja, um dos órgãos de imprensa mais venais do país, afirmou que o erro do ex-presidente foi insistir no protagonismo do PT. “No caso de Lula, é importante destacar a teimosia em apostar em candidatos independentemente da competitividade que eles demonstravam, caso de Gilmar [sic] Tatto, em São Paulo, e Nilmário Miranda, em Belo Horizonte. Isso fez com que o PT perdesse espaço, enquanto PSOL e PCdoB avançavam”, disse.

O jornal O Globo foi mais longe nas intrigas e afirmou que há setores do PT querendo tirar Gleisi Hoffmann e o afastamento de Lula. “O resultado da eleição do último domingo intensificou articulações de grupos petistas para encurtar o mandato da presidente do partido, Gleisi Hoffmann. Pela primeira vez em sua história, a sigla não elegeu nenhum prefeito em capitais. O descontentamento fez com que gente do partido defendesse até que o ex-presidente Lula saia de cena e permita a renovação dos quadros”, publicou.

‘Esquerda’ atendendo os pedidos dos golpistas

A campanha da burguesia incitou a direita do PT e deu munição para os ataques contra a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, e ao ex-presidente Lula.

O vice-presidente do PT Alberto Cantalice, “Lula já deu muito para o PT. É hora de abrir espaço”. Não por acaso, em declaração ao golpista Globo, Alberto Cantalice defendeu Lula tem relação direta com o resultado e que deveria sair de cena. “O PT tem várias lideranças: Haddad, Camilo Santanta Jaques Wagner, Rui Costa, Wellington Dias e Fátima Bezerra. Vários senadores. O Lula já deu muito para o partido. É hora de abrir espaço“, disse.

Outro porta-voz da direita do PT, Jaques Wagner, também é favorável e deu declarações que Lula deveria se afastar para uma nova ala ‘jovem’. “A gente não pode ficar refém. Eu sou amigo irmão do Lula, mas vou ficar refém dele a vida inteira? Não faz sentido. É a minha opinião sincera e parabéns aos jovens que participaram e ganharam”, disse.

As declarações dos dois dirigentes do PT é completamente estranha e mostra que setores do próprio partido estão se adaptando aos golpistas. Em primeiro lugar, dizer que Lula foi responsável pela derrota eleitoral do PT é uma enorme mentira, e ainda mais afirmar que afastar Lula melhoraria o resultado eleitoral do PT já mostra no mínimo loucura ou até que esses dirigentes estão mal intencionados.

O ex-presidente Lula é a figura mais conhecida e popular do país e a grande popularidade do PT e a identificação do partido com a classe trabalhadora e pobre do país é em grande medida devido a Lula. É a única liderança realmente popular do PT, nenhum dos governadores petistas gozam de tanto apoio em seus próprios Estados quanto Lula.

Culpa do resultado eleitoral é a frente ampla

O resultado eleitoral obtido em 2020 ao contrário do que está sendo colocar não é culpa de Lula e sim da política da esquerda pequeno burguesa que defende a famosa frente ampla. Desde o início em que a esquerda passou a defender a política de aliança com a direita que deu o golpe para combater o bolsonarismo ficou evidente que essa era uma tentativa da direita que deu o golpe e colocou de maneira fraudulenta Jair Bolsonaro na presidência da República ser reciclada.

Isso ficou evidente nessas eleições, pois os maiores vencedores foram a chamada direita ‘civilizada’ como o DEM, PSD, PP, MDB entre outros. Esses partidos no último período passaram por enormes crises políticas e quase foram a falência. Fizeram grandes manobras para se manterem mudando de nome, cores etc., mas o que realmente deu certo foi após o golpe cerrar fileiras com a esquerda pequeno burguesa para supostamente combater o bolsonarismo. E o resultado mostrou que a frente ampla foi uma estratégia correta para salvar a direita golpista.

Portanto, essa derrota nas urnas tem que ser colocada na conta da esquerda que defende a frente ampla, como o PSOL, PCdoB e setores do PT, e não de Gleisi Hoffmann e do ex-presidente Lula.

A esquerda Frente Ampla é culpada por esse erro, pois sempre defendeu ficar a reboque da direita, não denunciar a direita golpistas, como apoiar Eduardo Paes (DEM) ou João Campos (PSB), e tentar colocar o PT e Lula a reboque da direita ou da esquerda domesticada, como Guilherme Boulos e Manuela D`Ávila.

Frente Ampla e isolar Lula são medidas para consolidar o golpe

Os militantes e ativistas de esquerda tem que ter claro que tanto a política de Frente Ampla quanto a tentativa de isolar Lula e o PT são medidas da burguesia golpista para consolidar o golpe que foi aberto em 2016 na derrubada da presidente Dilma Roussef.

A esquerda está atendendo a pedidos da direita para que se vire uma página que apague o golpe e os partidos da direita tradicional não sejam ligados ao golpe e ao governo Bolsonaro. A direita procura meios de consolidar, e nesse momento é pela eleição e não haja questionamento de seus resultados afirmando que a população apoio, quando na verdade foi uma manipulação e um sistema completamente antidemocrático.

A esquerda que procura aliança com essa direita procura se adaptar a nova ordem politica do país estabelecida após o golpe. Em vez de lutar contra a direita e derrubar Bolsonaro, procuram a se aliar com essa direita em troca de favores e apoio, e também cargos e parlamentares.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas