Abutre vigarista: Ciro Gomes ataca Lula de maneira covarde e é repudiado por estudantes na Bienal da UNE

Ciro Gomes participa do evento "Di·logo da Ind¿stria com os candidatos ¿ PresidÍncia da Rep¿blica

Da redação – Na manhã de hoje (07), o abutre golpista Ciro Gomes atacou novamente a militância de esquerda que luta contra o golpe e pela liberdade de Lula, além de atacar covardemente o próprio Lula, ao provocar os estudantes que participam da 11ª Bienal da União Nacional dos Estudantes (UNE), em Salvador.

“Eu não sou corrupto. Eu ‘tô’ solto! É o Lula que está preso, babaca!”, gritou o político vigarista do PDT aos estudantes, que reagiram indignados cantando “Olê, olê, olê, olá, Lula, Lula!” e gritando “Lula livre!” e “Fora Ciro”. Quando os estudantes começaram a cantar “Lula livre”, Ciro Gomes pediu para que parassem e, tentando enganar com a sua demagogia, quis pegar uma faixa em defesa de Lula com a alegada intenção de dizer que também apoia o ex-presidente, preso político do regime golpista.

Quando finalmente voltou a falar, após a manifestação de repúdio a ele e apoio a Lula feita pelos estudantes, Ciro Gomes continuou com sua demagogia, com a costumeira fraseologia falsamente esquerdista. Afirmou ainda que “insistir nessa estratégia” – de luta pela liberdade de Lula – “afunda o Brasil”.

Ciro Gomes apresentou mais uma prova cabal sobre o lado em que está no jogo político. Quando Lula estava solto e as eleições estavam prestes a começar, o político golpista apresentou uma falsa imagem de líder de esquerda, para pegar embalo na popularidade do ex-presidente, a fim de arrecadar votos da esquerda.

Ainda mais quando Lula estava prestes a ser preso, no momento em que Gomes “aconselhou” o petista a se refugiar em uma embaixada. Assim, o pedetista viria seu concorrente fora das eleições e ainda por cima lucraria com seus votos, porque passaria a impressão de que estaria defendendo Lula.

Durante as eleições, Ciro Gomes serviu como mecanismo da burguesia para dividir os votos do PT a fim de facilitar a vitória dos outros concorrentes da direita. Nos últimos dias antes da eleições no segundo turno, ele postou um vídeo nas redes sociais afirmando que não votaria no candidato do PT, Fernando Haddad, contra o fascista Jair Bolsonaro. Logo Ciro Gomes, que sempre vendeu a lorota de que era preciso um candidato de esquerda (no caso, ele) para derrotar a direita. É bom lembrar que, após não ultrapassar o primeiro turno, o abutre bateu asas para a Europa, largando a esquerda que pensava que ele ajudaria Haddad a vencer Bolsonaro.

A manifestação na Bienal da UNE é extremamente significativa da realidade: mostra, por um lado, o caráter golpista e direita, senão covarde, de Ciro Gomes (que atacou Lula sem que este pudesse se defender), e, por outro lado, mostra de que lado está a militância de esquerda e o movimento estudantil, que rechaçou Ciro Gomes e gritou pela liberdade de Lula.

A UNE precisa se mover, mobilizar os estudantes e a juventude de todo o Brasil, no sentido de lutar contra o golpe e pela liberdade de Lula, nas ruas, com greves estudantis e protestos, organizando o movimento estudantil para derrubar Bolsonaro e todos os golpistas. Ciro Gomes mostrou, de forma escancarada, que é um golpista, que está ao lado de Bolsonaro e Moro para manter Lula preso. É um vigarista a total serviço da burguesia, para dividir a esquerda e impedir a mobilização popular.