À reboque dos capitalistas
Flávio Dino, um dos principais representantes da ala direita da esquerda pequeno-burguesa, impulsiona a política dos grandes capitalistas.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
whatsapp-image-2020-05-25-at-09.59.42
Rua Grande, São Luís, lotada ao amanhecer. | Foto: Adriano Soares/Grupo Mirante

Governado por Flávio Dino (PCdoB), o Estado do Maranhão, seguindo a política ditada pelos grandes capitalistas, realizou a reabertura em pleno pico da pandemia, e agora sofre novos estragos pela covil-19.

Anteriormente, o governador defendia uma política desesperada em prol do chamado “isolamento social”. Assim como um grande setor da burguesia, a política de isolamento social era dada como a solução de todos os problemas em relação a pandemia.

A esquerda pequeno-burguesa, que tem Flávio Dino como um dos maiores representantes de sua ala direita, seguiu meramente a política ditada pelos capitalistas. A chamada “frente ampla”, defendida pelo mesmo se consolidou não como uma aliança política benéfica ao povo, como tentam colocar, mas sim como uma política de serviços prestados à burguesia.

O discurso é o mesmo, ser um governador moderno, baseado na “ciência” e com novos projetos que visam “defender o povo”. No entanto, fato é que esta política benefecia apenas os donos dos comércios, pois logo após a reabertura, aglomerações de cetenas de pessoas foram vistas em diversos pontos da capital, São Luís.

Mesmo com tamanha “dedicação” no período do isolamento, Maranhão era considerado o segundo pior estado do país no cumprimento das medidas de distanciamento social, com uma taxa de 47%. Dessa forma, a política que já era inócua se tornou agressiva contra a população.

Nos últimos três dias, foram mais de 5.500 casos novos registrados, e o número de mortes atingiu o recorde de 33 em 24 horas.

A região do Nordeste, já é considerada, por alguns, como o novo epicentro da pandemia no país. Tanto o número de mortes quanto o número de casos oficiais, crescem diariamente em um ritmo assustador. Por ser uma das regiões mais pobres, junto ao Norte, o Nordeste sofre diretamente com a falta de condições minimas para sobreviver frente a pandemia na grande parte das cidades.

Dessa forma, a política antes seguida por Flávio Dino migrou de, uma política de total repressão contra o povo, sem dar quaisquer garantias de proteção contra o vírus, para um sacrifício de toda população em prol dos lucros dos grandes capitalistas, que devido a crise pressionaram para reabertura. A mesma política de Dória, Bolsonaro e de toda a direita.

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas