Coronavírus
A região do ABC paulista tem visto um aumento significativo no número de contaminações e internações pelo coronavírus. A taxa de ocupação dos leitos subiu de 44% para 65%.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
prefeitura-de-louveira-informa-o-22o-obito-pelo-novo-coronavirus-5f431b1063777
Ilustração do coronavírus (SARS-CoV-2). | Reprodução.
prefeitura-de-louveira-informa-o-22o-obito-pelo-novo-coronavirus-5f431b1063777
Ilustração do coronavírus (SARS-CoV-2). | Reprodução.

A situação da pandemia do coronavírus tem se agravado na região do ABC paulista. O Consórcio Intermunicipal do Grande ABC, que reúne autoridades dos municípios, enviou um ofício ao governador João Doria do golpista (PSDB) no qual pedia a retomada das internações de pacientes com COVID-19 nos hospitais estaduais da região e o aumento do número de leitos.

O ofício solicita que o Hospital Estadual Mário Covas (Santo André) e o Hospital Estadual Serraria (Diadema) procedam à retomada do atendimento às vítimas do COVID-19. Em três semanas, houve o aumento de 21 pontos percentuais na taxa de ocupação de leitos para o vírus das cidades do ABC. Entre os dias 5 e 26 de novembro, a taxa de ocupação dos leitos subiu de 44% para 65%.

O consórcio afirma que houve aumento de casos no último período em comparação ao período anterior. Nos últimos trinta dias, registrou-se um aumento de 32,1%. As justificativas apontadas para o pedido são a chegada de muitos pacientes graves, falta de leitos de UTI suficientes, impossibilidade de abertura de hospitais de campanha no curto prazo e tempo médio elevado de permanência dos pacientes nos leitos.

Em nota, o governo estadual tenta se esquivar da responsabilidade, naquela política de apontar números positivos para ocultar a realidade. A Secretaria Estadual de Saúde diz que há 62 leitos exclusivos nos dois hospitais mencionados. Além disso, serão repassados R$ 8 milhões para o município de São Bernardo do Campo.

Diversos municípios da região do ABC já preparam medidas restritivas para tentar conter o avanço da doença. O prefeito de São Bernardo, Orlando Morando do golpista (PSDB), apontou para a possibilidade de editar um decreto que aumentar as restrições na cidade, com redução do horário de funcionamento de bares e restaurantes a partir da próxima segunda-feira (30). Cinemas e teatros voltarão a fechar.

A grave situação do ABC paulista demonstra o caráter da política do governo João Doria, que é a de ocultar o avanço da doença, manipular sistematicamente os dados, reabrir totalmente a economia e os serviços públicos. A essência da política de Dória é a mesma de Jair Bolsonaro, que se sintetiza na frase “deixar morrer quem tiver que morrer”.

No decorrer desta semana, o Centro de Contingência ao Coronavírus recomendou ao governador Dória que medidas restritivas sejam imediatamente tomadas para impedir a expansão da doença. Há algumas semanas, Dória negava que os casos de coronavírus estivessem aumentando no estado de São Paulo.

Em meio à pandemia, o “cientista” Dória busca aumentar ainda mais o contingente de contaminados em todo o Estado de São Pulo, ao retomar as aulas nas escolas. Estas se tornarão um vetor importante da disseminação da doença entre os professores, estudantes, funcionários da educação e familiares de alunos.

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas