Siga o DCO nas redes sociais

Abaixo o imperialismo francês! Independência para a Guiana!
guiana_francesa
guiana_francesa

A discussão sobre a destruição da Amazônia colocada em questão por países imperialistas devido ao fascista Jair Bolsonaro e sua política criminosa de destruição dos recursos naturais, em particular da Amazônia, em beneficio de grilagem de terras e das mineradoras, colocou uma possibilidade de intervenção no vasto território brasileiro composto pela região amazônica.

Um dos maiores entusiastas dessa intervenção é o presidente francês Emmanuel Macron, onde disse “nossa casa está pegando fogo” e “a Amazônia é nosso bem comum”, e no encontro do G7 chegou a dizer que deveria haver mobilização das grandes potencias. Essas afirmações sobre a suposta preocupação com a destruição da Amazônia trazem a tona outras discussões sobre colonialismo.

A França possui um enorme território na América do Sul, que é um estado francês, denominado de Guiana Francesa. A Guiana Francesa, é a única unidade política não independente da América do Sul e que até pouco tempo atrás era considerada formalmente uma colônia francesa.

No início do século 19, houve um desenvolvimento econômico e uma certa prosperidade devido a exploração agrícola, mineral e do tráfico de escravos africanos, que se estagna com o fim da escravidão e a transformação da colônia da Guiana Francesa em uma colônia penal. Estima-se que de 1852 até 1946 aproximadamente centenas de milhares de pessoas condenadas pelos mais diversos motivos. Desde criminosos comuns até inimigos políticos durante o período da revolução francesa.

Leia Também  Mesmo com o coronavírus, ebulição no Equador é maior do que nunca

A brutalidade e as torturas das colônias penais da Guiana Francesa são conhecidas e se tornaram livros, como Pappilon, de Henri Charrière, que conta a história do dia-a-dia da colônia penal da Ilha do Diabo, por onde passaram mais de 80 mil condenados.

Somente após a segunda Guerra Mundial, em 1946, a Guiana Francesa teve o status de colônia alterado e foi considerado parte do território francês. Após ser considerado território francês, nos anos de 1960 foi criado o Centro Espacial de Kourou, que abriga o centro de lançamento aeroespacial francês. Apesar de ser um território francês, conta com todos os problemas de países subdesenvolvidos e taxa de desemprego beirando os 20% dos trabalhadores.

Funciona como uma base francesa dentro da América Latina para intervenção em países em defesa dos interesses do imperialismo francês. A Guiana Francesa se encontra em uma privilegiada posição próxima à linha do Equador e à foz do rio Amazonas, com presença militar capaz de realização ações em outros países.

Leia Também  Polícia dos EUA mata mais um homem negro e a população se revolta

Esses dados mostram quais são os verdadeiros interesses do imperialismo francês, através de Macron, na Amazônia brasileira. A Guiana Francesa, como único território que não conseguiu se libertar do processo de colonização, mostra o colonialismo francês em pleno vigor atualmente e dentro do nosso continente,

É preciso libertar esse território do imperialismo francês e colocar um ponto final do colonialismo.

 



0 Shares
Share via
Copy link