80 anos do seu assassinato
A teoria da Revolução Permanente é um dos principais legados do revolucionário Leon Trotsky
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Лев Троцкий в цвете. фота Александра Бухмана (1939-40)
Leon Trotsky | arquivoAntonio Eduardo

Nos 80 anos do assassinato do revolucionário russo Leon Trotsky, uma questão relevante no debate sobre seu legado político é a formulação sobre a Revolução Permanente.

Antes de entrar na polêmica sobre a Revolução Permanente após 1923, é importante entender a questão fundamental sobre diferentes  concepções sobre a Revolução Russa.

As três concepções da Revolução Russa

A questão candente no desenvolvimento do movimento revolucionário russo no século XIX e no início do século XX foi a definição sobre o próprio sentido do desenvolvimento russo e o caráter da revolução. O movimento narodnik ( populista) entendia que seria possível evitar que a Rússia passasse pelo capitalismo, e defendia a constituição de um socialismo com base na comunidade agrária. O posterior desenvolvimento do capitalismo na Rússia, ainda que de forma diferente da maneira ocorrida na Europa Ocidental evidenciou que não era possível evitar o capitalismo.

Por sua vez, no interior do Partido Social-Democrata Russo apresentou-se fundamentalmente três concepções. A primeira, a posição menchevique, que defendia que a revolução seria burguesa, e portanto a liderança deveria ficar a cargo da própria burguesia, e que o papel do proletariado seria apoiar a burguesia na sua luta democrática contra a autocracia. Somente em uma outra etapa estaria colocado a realização das tarefas socialistas.

A segunda posição foi apresentada por Lênin, líder dos bolcheviques, que defendia que a revolução teria um caráter burguês, mas que a burguesia não teria a disposição para liderar, pois estava comprometida com a manutenção do regime autocrático, abrindo mão do seu programa democrático burguês. Neste contexto,  os operários teriam que fazer uma aliança com os camponeses, constituindo uma “ditadura democrática dos operários e camponeses” que faria as tarefas democráticas da revolução burguesa( entre elas, a questão agrária), que a burguesia se recusava a realizar.

Finalmente, a formulação de Leon Trotsky que junto com Parvus afirmou que a revolução teria caráter burguês, nas suas tarefas fundamentais, e como Lênin, assinalou que a burguesia não implementaria a revolução burguesa. A luta pelo poder  deveria ser  impulsionada pelos operários, apoiado nos camponeses.  A revolução seria permanente, no sentido, que não ficaria restrita as tarefas democráticas, mas que avançaria na implementação de uma ditadura do proletariado, e colocando em movimento a luta por mudanças estruturas que colocariam em xeque o regime capitalista.

“ Para os países de desenvolvimento burguês atrasado e, em particular, para os países coloniais e semicoloniais, a teoria da revolução permanente significa que a resolução íntegra e efetiva das suas tarefas democráticas e de libertação nacional somente pode ser concebida por meio da ditadura do proletariado, que se coloca à cabeça da nação oprimida e, primeiro de tudo, das suas massas camponesas.” ( TROTSKY, Teses sobre Revolução Permanente)

A experiência da Revolução Russa de 1905, o “ ensaio geral” segundo Lênin, quando é constituído o soviets e sobretudo a vitoriosa experiência de 1917, comprovaram que a noção da Revolução Permanente desenvolvida por Trotsky era a chave explicativa decisiva  para entender o processo revolucionário no seu conjunto.

“A ditadura do proletariado, que sobe ao poder como força dirigente da revolução democrática, se encontra muito rápida e inevitavelmente colocada perante tarefas que a forçarão a fazer incursões profundas no direito de propriedade burguês. No decurso de seu desenvolvimento, a revolução democrática transforma-se diretamente em revolução socialista e torna-se assim uma revolução permanente.” ( Trotsky, idem)

As teses de abril de Lênin, que indicava nenhum apoio ao governo provisório, a luta pela paz e terra para os camponeses representou a implementação tática da Revolução Permanente, uma virada decisiva que armou o Partido Bolchevique para a Revolução de Outubro.

Um dos pontos cruciais na teoria da Revolução Permanente é a perspectiva internacional da revolução. Na próxima semana iremos abordar o fator internacional, bem como de que forma as derrotas sofridas pelas revoluções na década de 1920 provocaram um pessimismo político que contribuiu para o aparecimento da teoria do “socialismo em só país” na URSS.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas
Sobre o Autor
Publicidade
Últimas
Publicidade
Mais lidas hoje

Nenhum dado até agora.