A serviço do imperialismo, OEA aplica “Carta Democrática” contra a Nicarágua

luis almagro

Da redação – Nesta quinta-feira (27) o presidente da Organização dos Estados Americanos (OEA) começou a aplicar a chamada “Carta Democrática” contra a Nicarágua. Esse mecanismo é usado quando há uma ruptura democrática no país. Ou seja, a OEA, instituição submetida aos interesses do imperialismo, está dizendo com isso que haveria tal ruptura na Nicarágua.

Luis Almagro, uruguaio que atualmente é o presidente da instituição, dirigiu-se ao embaixador da Nicarágua nos seguintes termos: “Queria garantir que o senhor e seu governo assumam a dignidade de assumir erros, de voltar aos princípios que levaram a Nicarágua à democracia”. Palavras que lembram os chamados da direita à “autocrítica” do PT aqui no Brasil.

O “erro” da Nicarágua, nesse caso, foi o governo não ter caído durante a ofensiva golpista desse ano. A Carta Democrática pode suspender a Nicarágua da OEA, incidente que o imperialismo tentará usar contra o país para reforçar as tentativas golpistas, que até agora fracassaram.

Nicarágua e Venezuela são alvos da mesma ofensiva golpista do imperialismo que varreu toda região desde o golpe em Honduras em 2008. Uma ofensiva dirigida a fazer os países atrasados e os trabalhadores desses países pagarem pela crise dos capitalistas.