A serviço do golpe Raquel Dodge trama para manter Lula preso

dodge

Da redação – Raquel Dodge, procuradora-geral da República, manifestou-se ao Supremo Tribunal Federal (STF) contrariamente ao pedido da defesa do ex-presidente Lula de que ele aguarde seu julgamento em liberdade.

Dentre a série de argumentos absurdos, Dodge afirma, cinicamente, que o recurso nem deve chegar a apreciação do STF pois “a jurisprudência do STF só admite esse tipo de recurso quando há afronta expressa à Constituição Federal. E, segundo a PGR, não é o caso”. É de conhecimento geral, contudo, a violação frontal artigo constitucional “ LVII – ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória;” frontalmente no caso Lula.

O escândalo do triplex também é citado pela procuradora: “Ela lembra que, nas duas decisões, os magistrados tiveram a seu dispor uma gama de material probatório e entenderam haver provas robustas de que Lula praticou os crimes”.

Dodge termina com um desdenhoso discurso moralista contra-corrupção, declarando que a defesa de Lula não só é apenas ideológica (não se baseando em desvios legais do julgamento), como é defensora da corrupção.

“Luiz Inácio Lula da Silva foi eleito para o mais alto cargo do Executivo Federal com um ferrenho discurso anticorrupção, alardeando sua honestidade e prometendo combate aos dilapidadores dos cofres públicos. Elegeu-se em virtude de sua retórica de probidade e retidão. Tais fatos elevam sobremaneira o grau de censurabilidade da conduta do recorrente e devem ser punidos à altura”.

É com esse tipo de discurso que os golpistas destroem toda a estrutura legal brasileira, justificando a entrega escandalosa das maiores empresas e recursos nacionais e escravizam o povo brasileiro. É preciso o povo na rua para combater o golpe, para derrubar os golpistas, libertar Lula e garantir o que é seu por direito.