Polícia assassina
Após restrição do STF golpista, com menos PM nas favelas do Rio as mortes ocasionadas pela polícia diminuíram 76%.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
policia-militar-realiza-operacao-no-morro-do-fallet-no-rio-de-janeiro-rj-nesta-sexta-feira-8-durante-operacao-14-pessoas-foram-mortas-1549658574536_v2_1920x1280
Intimidação da PM em favela do RJ | Foto: Reprodução

No Rio de Janeiro, após a decisão do Supremo Tribunal Federal golpista de restringir as operações policiais em favelas, todas as mortes cometidas por policiais caíram em 76% no estado. A determinação foi dado pelo ministro Edson Fachin, no dia 5 de junho, e no último dia 17, o STF resolveu ampliar as restrições. Os dados do Instituto de Segurança Pública (ISP) do Rio, revelam que os óbitos diminuíram de 348 em junho e julho de 2019 para 84 no mesmo período deste ano, já valendo das restrições colocadas. Se a comparação conta apenas em relação a junho, quando a determinação entrou em vigor, a queda no número de vítimas é ainda maior: 78%. Em 2019, foram 153 assassinados pelos agentes do estado no mês, enquanto neste ano o número de óbitos foi de 34. 

Em primeiro lugar é importante esclarecer que a decisão do STF tem como único interesse conter a mobilização da população que segura a crise nas costas. As operações horripilantes da PM nas favelas são inaceitáveis para a própria população, a qual na medida do possível sempre tenta se defender. Com o coronavírus, além dos assassinos da segurança pública, tem-se o risco de contaminação e de morte pela doença. A restrição é justamente para impedir que os moradores se levantem contra o governo e seu aparato fascista, uma vez que a própria política contra a crise vigente já radicaliza o povo brasileiro. Vale enfatizar também, que isso evidencia quem são os alvos da direita: a população pobre, classe trabalhadora, a única que pode acabar com o regime burguês.

Como afirmou o professor de sociologia da Universidade Federal Fluminense (UFF) e coordenador do Grupo de Estudos dos Novos Ilegalismos (Geni), Daniel Hirata, ao G1, “É muito claro que essa queda nas mortes por intervenção de agentes do estado está associada à decisão liminar do ministro do Edson Fachin. A gente pode perceber uma queda no número de mortes, os antigos autos de resistência, mas também no número de feridos durante as ações”

“Bandido bom é bandido morto”, quando comparado a respectiva situação o famoso discurso bolsonarista se revela mentiroso. “Enquanto as mortes caíram, os indicadores criminais não subiram. A gente começa a perceber que a preservação da vida não se opõe ao controle do crime”, como também acrescentou Hirata. Fica claro o caráter fascista da polícia no Brasil, pronta para atender qualquer pedido criminoso do governo da direita e de seus patrões.

Como se não bastasse, a PM informou que observa uma queda de sua produtividade – realmente é uma máquina de matar em escala industrial. Com a restrição o número de pobres na cadeia e de armas apreendidas caiu, e a corporação teve a audácia de dizer ainda que vê com “extrema preocupação a restrição à operacionalidade em territórios disputados entre grupos de criminosos, que impõem o terror a milhares de pessoas, em busca do domínio e expansão territorial”. Assim, mesmo com a restrição, 71 ações policiais foram justificadas como casos de excepcionalidade e, com isso, mais 84 pessoas foram assassinadas nos últimos meses.

Já passou da hora do povo se armar e se organizar em milícias operárias e populares para se defender e acabar com os reais impositores do terror. A extrema-direita continua a se organizar para estabelecer o massacre da população, agora, para superar a crise sanitária e a crise financeira, é necessário dar um fim a polícia fascista! Pelo Fora Bolsonaro e Todos os Golpistas, e pela dissolução da PM já!

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas