A luta do povo negro no Brasil
A esquerda pequeno burguesa, influenciada pela imprensa da burguesia, trava uma luta individual e cultural, que nega a luta do povo negro dentro da luta de classes
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
negro (1)
Cartaz contra genocídio do povo negro. |

Nos últimos anos, nós vimos aumentar a propaganda antirracista na imprensa burguesa, em meios universitários e pequeno burgueses. Essa propaganda prega que a luta do povo negro no Brasil é uma luta contra ofensas pessoais e contra a hegemonia cultural dos brancos em novelas, filmes, na música e etc. O aumento dessa propaganda, vindo inclusive de setores extremamente reacionários como alguns veículos da imprensa burguesa, nada mais é do que uma tentativa de confundir o movimento negro no Brasil, com o intuito de esvaziar o significado político dos movimentos e criar a ideia de que a única saída para a população é uma luta individual.

O que a esquerda pequeno burguesa não entende, ou então, faz questão de não entender, é que assim como todos os movimentos de luta no mundo, o movimento negro está inserido dentro da luta de classes, pois ainda vivemos em uma sociedade de classes. O pequeno burguês tenta travar uma luta pelo “empoderamento feminino” contra o machismo e uma luta contra a chamada “branquitude”, como se vivêssemos em um mundo sem classes sociais, em que o único problema da humanidade é a sua identidade, a maneira como aparece para os outros e etc. Isso tudo não poderia estar mais afastado da realidade.

A maioria da população brasileira é negra, com cerca de 54% do total de indivíduos no país. Sendo assim, a maioria esmagadora da classe trabalhadora no Brasil é negra. É essa parcela da população que mais sofre com a perseguição da polícia, com as prisões, com a falta de empregos, com a falta de saúde (principalmente no atual momento), com a fome, com a falta de moradia e etc.

Tentar fazer, como a imprensa burguesa e os ditos “militantes antirracistas” da pequena burguesia fazem, restringindo a luta de mais de 100 milhões de pessoas a uma luta contra ofensas pessoais e por uma maior participação cultural na própria imprensa que nega isso aos negros, é não só despolitizante, como também uma prática genocida contra a população.

A pequeno burguesia é uma classe que não visa uma alteração real no modo como vive a população, já que ela participa da opressão contra os trabalhadores. A luta dessa classe, muitas vezes, adquire um caráter individual, na busca por cargos de emprego, por posições políticas dentro da sociedade capitalista e etc, como podemos ver nos próprios partidos pequeno burgueses, que lutam somente através das eleições e investem pesado na propaganda individual de seus candidatos, ao contrário de uma luta real e através do próprio partido. Sendo assim, a pequena burguesia tenta travar uma luta individual fazendo demagogia com a população negra, buscando mais “representatividade”, “lugar de fala” e etc.

A própria história da população negra no Brasil combate essa ideologia pequeno burguesa, já que a luta da população negra passou por inúmeros momentos de combate contra a opressão da classe que a oprimia, como durante o período da escravidão, como durante a revolta da chibata e etc.

Sendo assim, é necessário que o povo negro se mobilize por aquilo que causa toda essa opressão, o capitalismo. A população negra deve lutar contra a máquina estatal que a oprime, contra a existência da polícia, contra a imprensa burguesa e contra a burguesia. Só através dessa luta é que é possível a liberdade total da população negra.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas