A maioria dos demitidos no último PDV da ECT eram atendentes

agnecia dos correios

O último PDV (pedido de demissão voluntária ) da ECT (Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos), aberto no mês de junho de 2019, teve como resultado a demissão de 4881 trabalhadores da empresa, uma diminuição de quase 5% da categoria, visando a sua privatização, ou seja, a sua destruição pelo governo fraudulento e golpista de Jair Bolsonaro.

Desses quase cinco mil trabalhadores demitidos, na sua maioria, eram trabalhadores que eram lotados em agências próprias dos Correios, atendentes comerciais, que estão se sentindo infeliz com a política de opressão, sucateamento e desmonte a ECT.

A direção golpista dos Correios anunciou que demitiu no PDV mais de 4 mil atendentes por todo o Brasil, o que prova que uma das políticas que os golpistas estão promovendo na empresa é a destruição das agências próprias, levando todos os usuários dos Correios a utilizar as agências franquiadas, que estão nas mãos dos deputados, ou apadrinhados de políticos da direita brasileira.

Também é necessário lembrar que antes do PDV, os Correios estavam fazendo os atendentes pagar por mercadorias e postagens reclamadas pelos usuários dos Correios, uma pressão para levar o trabalhador a pedir demissão, além da programação do fechamento de 500 agências próprias da empresa.

É necessário exigir da direção golpista a contração de mais de 100 mil trabalhadores para dar conta da demanda existente na empresa e não aceitar a diminuição da quantidade de trabalhadores nos Correios que visa enfraquecer a categoria, diante das privatizações.