As leis que dão poder ao Estado sempre se voltam contra a esquerda e o povo

2019.05.07 Leis que se voltam contra o povo

O presidente do Partido da Causa Operária, Rui Costa Pimenta,  apresenta todo sábado a partir das 11:30h o programa Análise Política da Semana, sobre a conjuntura nacional, que é transmitido pelo Youtube nos canais da Causa Operária TV e da Rádio Causa Operária; também nas páginas do facebook da Causa Operária TV, do Diário Causa Operária Online, do PCO – Partido da Causa Operária, é possível acompanhar o programa que tem dezenas de milhares de expectadores, além das contas do partido no Twitter/Periscope e VK (rede social russa).

No programa de 27/04/19, o companheiro Rui explicou sobre as leis que dão poder ao Estado sempre se voltarem contra a esquerda e o povo. Confira:

“Aqui nós temos um, fazendo apenas um comentário, nós temos um exemplo de como funciona o problema da legislação punitiva para resolver os grandes problemas nacionais como o problema da corrupção.

Você aprova a lei, isto não muda nada nas eleições, de fundamental. Não altera o quadro político minimamente – se houve alguma alteração no quadro político foi para pior – mas serve por exemplo para resolver problemas políticos espinhosos, que a burguesia tem que resolver, como por exemplo, tirar o Lula da eleição e garantir a vitória do Bolsonaro. A lei serviu para isso.

A mesma coisa a gente deve dizer sobre toda essa legislação que a esquerda quer aprovar, legislação que pune o machismo, o racismo, a homofobia, que censura determinadas colocações. Tudo isso vai funcionar exatamente dessa maneira.

Essas leis de censura, por exemplo, não conseguiram deter o Bolsonaro, mas elas podem deter todo um setor da imprensa independente. A lei da homofobia, uma coisa que a gente deve assinalar aqui, a lei que penaliza a chamada homofobia, está sendo apresentada pelo pastor de extrema direita da igreja evangélica: Marco Feliciano. O simples fato de que você veja aí o apoio e a iniciativa de uma pessoa como Marco Feliciano, em torno do problema da homofobia, deveria despertar nas pessoas uma pergunta: o que realmente está em jogo?

Então a gente deve explicar, o que muita gente não lembra, que a tal lei da homofobia, quando começou a ser discutida muito tempo atrás, um dos primeiros atritos e uma das primeiras questões polêmicas da lei foi o fato de se as igrejas teriam ou não o direito de expor sua oposição sobre a homofobia. Então se decidiu, por acordo, como se fosse para enfatizar o caráter totalmente inócuo da lei para combater a direita, que as igrejas podem falar o que eles quiserem do homossexualismo, sem incorrer na lei da homofobia. Então fica a pergunta: quem é que vai pagar o pato da criminalização da homofobia, se não são as igrejas evangélicas e a direita? Por que basta que o cidadão esteja dentro de uma reunião da Assembleia de Deus, aí ele pode falar o que quiser dos homossexuais e não vai poder ser considerado homofobia, porque faz parte da atividade da igreja.

Então logicamente que vai sobrar para alguma pessoa que por algum descuido fale alguma coisa, vai saber o que também, por que hoje em dia você pode ser censurado por qualquer motivo. E essa pessoa vai ser condenada. Normalmente vai ser alguém de esquerda, alguém que inclusive, provavelmente, defenda os homossexuais. É isso que vai acontecer. Então o caso Lula e a lei da ficha limpa, eles devem ajudar a entender que pela aprovação de leis, nós não vamos avançar na questão dos direitos democráticos da população, não vamos avançar na conquista de melhores condições de vida para a população, nem nada. A única coisa que vai acontecer é que vamos ter um conjunto de leis que permitem a discrição do juiz penalizar pessoas mais fracas e também por motivos em geral de perseguição política. Eu digo isso porque nós tivemos todo um debate aí sobre a questão da censura onde se manifesta um setor da esquerda, que é um setor muito curioso da esquerda, que realmente acredita, vive a ilusão de que se você aprovar uma lei de censura isso vai acabar com a direita nacional. O que é uma coisa totalmente absurda. É muito mais fácil a lei de censura acabar coma esquerda nacional do que acabar com a direita nacional, para não dizer que não vai acabar com a direita nunca.

De lá para cá nós tivemos aí vários novos processos de censura que foram aparecendo na imprensa, por exemplo, alguém chamou o Kim Kataguri do MBL de bobalhão, o que, digamos assim, é uma acusação meio infantil, embora ele seja realmente um bobalhão, e a pessoa foi processada e condenada. Então você não pode mais, a gente tem que tomar cuidado quando estiver andando na rua de chamar alguém de bobo. Se falar assim “você é bobo”, pode dar processo, você pode ser censurado.

O Ciro Gomes falou que haveria empresários sionistas corruptos, que a gente pode dizer que empresário corrupto é pleonasmo, foi condenado também e a gente vive aqui, nós do PCO, da Causa Operária Tv e da nossa imprensa toda, nós vivemos aqui um dia após o outro. Ninguém sabe o dia que vai ser, se vai ser censurado, se vai ser multado, preso, sabe-se lá o que. E tudo isso com a extraordinária cooperação da esquerda.”

Acompanhe a Análise Política da Semana e os momentos da Análise na Causa Operária TV e na Rádio Causa Operária: