A justiça é para todos… os amigos: Barroso empurra processo de Temer 60 dias para frente

barroso

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Luís Roberto Barroso foi um dos principais articuladores da prisão do ex-presidente Lula na mais alta corte do país. Defendendo uma série de arbitrariedades para legalizar o processo fraudulento que culminou no encarceramento do maior líder popular da história, Barroso falou por horas para tentar justificar o injustificável: o fim da presunção de inocência.

Embora tenha tido sucesso em recusar o apelo constitucional da defesa do ex-presidente Lula ao habeas corpus e, por causa disso, tenha sido tratado como um herói pela Rede Globo, Barroso acabou de demonstrar que seu incômodo com a “impunidade” é bem seletivo. Isto é, Barroso não negou o habeas corpus de Lula porque, de fato, acredita que isso vai contribuir com a falaciosa “luta contra a corrupção”, mas sim porque – e tão-somente porque – o ministro golpista queria jogar o ex-presidente na cadeia.

Barroso, que tanto defende a “punição aos corruptos”, adiou o processo que pode incriminar o presidente golpista Temer por mais 60 dias. Segundo ele, é necessário aguardar “para que se possa formar opinião sobre a existência material dos delitos investigados”. Ou seja, muito ao contrário do que foi feito com Lula, quando o fascista Deltan Dallagnol disse não ter prova, mas convicção, o ministro golpista Luís Barroso não quer condenar ninguém sem provas.

O caso de Barroso mostra claramente que a Justiça só funciona para os golpistas. Afinal, os membros do Poder Judiciário não são eleitos por ninguém e são facilmente corruptíveis pelo imperialismo. Por isso, é necessário abandonar qualquer crença no Judiciário e mobilizar os trabalhadores pra enfrentar a burguesia e exigir a liberdade de Lula e a anulação do impeachment.