Liberdade para Assange
Processo contra o jornalista é uma farsa e deve ser anulado. Liberdade para Assange, abaixo o imperialismo!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
assange
Jornalista perseguido por denunciar os crimes do imperialismo. | Foto: Reprodução

O julgamento de Assange mostra que na realidade toda essa fantasia que existe na política internacional de que o imperialismo é democrático, etc é uma coisa que não encontra em nenhum fundamento.

Um jornalista começa a denunciar as falcatruas do governo, obtém impacto na opinião pública internacional e ele é duramente perseguido.

WIKILEAKS DENUNCIOU CRIMES DO IMPERIALISMO

Wikileaks, site fundado pelo jornalista que, em 2010, foi responsável por publicar vídeos, documentos e telegramas que provavam que as grandes potências e, principalmente, os Estados Unidos, utilizam de seu aparato para dominar países atrasados e massacrar suas populações, como é o caso do vídeo intitulado “Collateral Murder”, o qual mostra cerca de 12 pessoas sendo assassinadas pelo exército estadunidense no Iraque.

É preciso lembrar que as acusações contra Assange são acusações que conformam apenas um pretexto político. Uma vez que são acusações de assédio sexual, tudo de acordo com o figurino do politicamente correto do imperialismo interacional, que serve para isso, afinal de contas, pois é muito mais tranquilo acusar de assédio sexual do que de ter denunciado as mazelas do imperialismo internacional, mas a perseguição se dá por aí.

Este processo conduzido até agora se revelou um julgamento farsa, como encontramos inúmeras vezes na ”justiça democrática” do imperialismo. Quando se trata de problemas que dizem respeito ao funcionamento do estado e que tem uma certa gravidade, toda aquela ”pompa judiciária” que o imperialismo sustenta vai por água abaixo e o julgamento vira um caso simplesmente de perseguição política.

JUÍZA NO ESTILO SÉRGIO MORO

O teatro do julgamento de Assange em Londres está sendo conduzida pela juíza Vanessa Baraitser, que sem disfarces mostra que segue religiosamente o roteiro de tortura e esmagamento de Assange que lhe foi confiado pelo imperialismo. Qualquer semelhança com um certo juiz com voz de marreco não é uma mera coincidência.

Baraitser também vetou a saída de Assange da prisão de Belmarsh mesmo sob o risco de ele contrair o Covid-19. É sabido que Assange tem problemas de saúde, alguns deles relacionados com distúrbios pulmonares crônicos.

A juíza permitiu ainda a publicação dos nomes das crianças pequenas de Assange, dizendo ser do interesse da “justiça”. Muitas testemunhas oculares afirmam que a juíza já entra na corte com suas sentenças escritas, recusando todos os apartes da defesa.

LIBERDADE PARA ASSANGE

Finalmente, todo este tribunal totalmente ilegal dos EUA e da Inglaterra contra Assange é uma tentativa do imperialismo norte-americano e britânico de justificar porque eles podem prender pessoas nete caso um jornalista e ativista, que exponha seus crimes contra a humanidade.

O processo contra Julian Assange é uma farsa e deve ser anulado.

Liberdade para Assange, abaixo o imperialismo!

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas