Salles deixa passar DESTRUIÇÃO
Aumento recorde das queimadas e do desmatamento, em meio à pandemia da Covid-19
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
amazonia
A escalada do desmatamento da Amazônia é preocupante | Foto : Ascom Ideflor-Bio

Ricardo Salles, em reunião ministerial de 22 de abril, divulgada pelo STF, declarou que deveriam aproveitar a pandemia da covid-19 para “passar a boiada”.

Ele se referia ao  mkdesvio das atenções da imprensa acerca das regulamentações da pasta, que ele desastrosamente comanda, a respeito da a Amazônia.

Ricardo Salles é o Ministro do Meio Ambiente do governo fascista do miliciano Jair Bolsonaro.

Desde a posse do fascista, em Janeiro de 2019, o número de invasões a territórios indígenas demarcados e sob proteção da FUNAI tem recrudescido descontroladamente e as enormes queimadas viraram manchete no Brasil e na imprensa internacional. De lá para cá, a situação só tem piorado.

Dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe ) de 2019 apontam um aumento vertiginoso do desmatamento na região amazônica. Os focos de incêndio foram 2.248, de 1° a 30 de junho de 2020. Em 2019 foram 1.880. Os focos são registrados por satélites.

Há também o registro de uma antecipação do número de queimadas que antes costumavam se dar depois do mês de julho. Junho teve o pior índice registrado desde 2007.

O aumento das queimadas, considerado recorde, já vinha sendo alertado por ONG’s e por especialistas e corresponde com o acelerado desmatamento em meio à pandemia da Covid-19.

Ou seja; a recomendação de Ricardo Salles com relação á Amazônia está sendo seguida à risca. Num rastilho…

Numa óbvia farsa orquestrada, esse governo aproveita-se do cenário de caos, que ele próprio promoveu, para acentuar um estado de ocupação militar do território da Amazônia. A implantação do decreto de Garantia de Lei e Ordem (GLO) da Amazônia foi instaurado pelo próprio Planalto e é muito importante que se diga que, em único mês, gastará um orçamento correspondendo ao orçamento anual da fiscalização ambiental do IBAMA!

Ou seja; se o IBAMA contasse com um orçamento dessa cifra desde sempre, jamais ocorreriam queimadas criminosas e muito menos se justificaria a farsa da necessidade de enfiar os militares, Polícia federal, ABIN e a Força Nacional nesse território!

As queimadas foram promovidas por associações de ruralistas que viram na posse de Bolsonaro um momento oportuno para todas as suas ações criminosas. E agora, com a desculpa de combate a esses crimes, o planalto emite o decreto de Garantia de Lei e Ordem na Amazônia, que usando a desculpa de combate ao desmatamento e às queimadas, está se fixando lá para reprimir os movimentos sociais, os sem terra e prosseguir com o extermínio indígena. Querem implodir o trabalho desenvolvido pelo Instituto Chico Mendes naquela região que além de fomentar e executar programas de pesquisa, também promove a proteção e a conservação da biodiversidade em todo o território nacional.

A Justiça Federal do Amazonas cobrou do Ibama, do Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio) e a Funai apresentassem respostas sobre o aumento recorde do desmatamento na região amazônica neste ano, sendo que eles sabem muito bem quem os promove…

A Amazônia possui um estoque de minerais necessários para o desenvolvimento tecnológico. E mais vinte por cento do manancial de água doce do mundo! É o imperialismo que financia sua ocupação mantendo agora um enclave militar diretamente controlado a partir da GLO Amazônia para defender os interesses de latifundiários e grileiros de terra. Isso é muito transparente para quem se detiver aos fatos e a sua cronologia.

Fora militares! Soberania já!

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas