“Rachadinha”
Investigação mostra que Flávio Bolsonaro estaria envolvido em esquema que visava desviar dinheiro público para organizações de extrema-direita
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Brasilia DF 02 02 2919 O senador Flávio Bolsonaro no plenário do Senado Senado inicia novamente o processo de votação. Flavio Bolsonaro mostra o seu voto (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Senador Flávio Bolsonaro (PRB-RJ). Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil |

De acordo com documentos publicados pelo portal The Intercept Brasil, o senador Flávio Bolsonaro (PRB-RJ), filho do presidente ilegítimo Jair Bolsonaro, teria financiado a construção ilegal de prédios erguidos por milícias utilizando o dinheiro público. De acordo com o portal, parte do salários dos funcionários dos gabinetes de Flávio Bolsonaro seria repassado ao ex-capitão do Bope, Adriano da Nóbrega, apontado como chefe do Escritório do Crime, que seria uma milícia especializada em assassinatos por encomenda e em praticar uma série de extorsões nas favelas Rio das Pedras e Muzema.

Como toda investigação de corrupção, a que está sendo realizada em torno do filho de presidente ilegítimo carrega algum interesse político, que poderá vir a ser revelado futuramente. Por ora, tem sido mais um recurso de setores da burguesia para controlar o governo Bolsonaro, repleto de contradições internas e imerso em uma profunda crise política.

Embora não seja de interesse deste diário entrar propriamente no mérito das acusações, uma vez que o combate à corrupção, conforme se revelou durante o golpe de 2016 e a prisão do ex-presidente Lula, é um recurso que serve invariavelmente à classe dominante, a notícia é importante para demonstrar como o regime político atua para financiar as organizações de extrema-direita. As milícias financiadas por Flávio Bolsonaro, muito além de serem organizações criminosas, são associações de caráter intrinsecamente fascista. Estão frequentemente vinculadas à Polícia Militar, são fortemente armadas e atuam sobre a base do terror.

Se a burguesia fosse contra as organizações fascistas, teria tomado medidas para evitar que isso acontecesse. Mas o fato é que ela não é. Na verdade, é a burguesia a grande responsável por manter as organizações fascistas e por impulsioná-las nos momentos de seu maior interesse. São, afinal de contas, uma espécie de último recurso para ser utilizado em tempos de crise.

A extrema-direita está se organizando e se valendo do apoio da burguesia para se fortalecer. É preciso, portanto, que a esquerda começa a já a se preparar para confrontar os fascistas. É preciso fortalecer os comitês de luta e de autodefesa em todo o país, antes que a extrema-direita tome conta das ruas.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas