Baleia Rossi
Na corrida para ver quem paga mais, Bolsonaro, com a máquina do Estado na mão, conseguiu esvaziar o bloco formado por Rodrigo Maia
Brasília - O líder do PMDB na Câmara, Baleia Rossi (SP), fala sobre votação da reforma da Previdência (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Baleia Rossi | Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Brasília - O líder do PMDB na Câmara, Baleia Rossi (SP), fala sobre votação da reforma da Previdência (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Baleia Rossi | Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Na manhã de ontem (1º), a imprensa burguesa já dava como certa a saída de Rodrigo Maia, até então presidente da Câmara dos Deputados, do seu partido, o Democratas. Maia é um dos principais caciques do DEM, tendo já herdado o esquema eleitoral no Rio de Janeiro de seu pai, César Maia. Sua ameaça de deixar o partido, contudo, expressa uma grande derrota política: a sucessão na mesa diretora da Câmara irá para as mãos de um grupo político que não está sob seu controle.

Dito de outra maneira, a insatisfação de Maia com o DEM marcou, de maneira mais acabada, que a candidatura de Baleia Rossi (MDB-SP), naufragou completamente. O deputado do MDB, apadrinhado por Michel Temer, chegou a reunir um bloco de onze apoiadores, todos eles articulados pelo próprio Maia. Contudo, na medida em que Bolsonaro foi intensificando a compra de votos, acabou atraindo a maioria da Câmara para seu candidato, Arthur Lira (PP-AL). Maia, obviamente, como qualquer político burguês em sua posição, também tentou comprar a Casa inteira. No entanto, acabou não conseguindo competir com o vasto aparato nas mãos de Bolsonaro, incluindo ministérios bilionários como a Saúde e a Educação.

A candidatura de Baleia Rossi ficou completamente desmoralizada. Todos os jornais da imprensa burguesa já dão como certa a sua derrota — só não se sabe de que tamanho ela será. Afinal, atraídos pelo governo, todos estão abandonando o barco… Todos, menos a esquerda.

A esquerda que tem alguma representação no Congresso — PT, PCdoB e PSOL — decidiu apoiar, toda ela, o vigarista Baleia Rossi. Passaram pelo vexame de apresentá-lo como a “luz” contra as “trevas”, como um guardião da democracia, entre outras demonstrações do mais puro cinismo. No fim das contas, tratava-se apenas de uma maneira de tentar conseguir algum cargo na mesa diretora.

Agora, contudo, a esquerda ficará com absolutamente nada. Abandonou qualquer perspectiva de denunciar a podridão do regime político, uma vez que decidiu se confraternizar com Rodrigo Maia e Baleia Rossi, e assiste aos “democratas” que estariam contra o governo Bolsonaro se venderem, da forma mais escancarada, para a candidatura de Arthur Lira. Nem mesmo o DEM, de Rodrigo Maia, nem o MDB, do próprio Baleia Rossi fechou questão em relação à candidatura da “democracia”. Restará, na votação, apenas o PT, o PSOL, o PCdoB e, sabe-se, se Baleia Rossi votará em si mesmo.

Relacionadas
Send this to a friend