Rui Costa Pimenta: “A ditadura do Judiciário”

STF1

Leia o trecho que destacamos da última Análise Política da Semana, realizada no dia 01/09, em que o companheiro Rui Costa Pimenta, presidente nacional do PCO, explica a atuação antidemocrática e rotatória do judiciário, que articulou-se em um grande bloco político para atender os interesses dos donos do golpe. Leia aqui:

“Bom, companheiros, nós temos aqui um momento decisivo situação política, nos vimos aí ontem o julgamento do TSE, é existe agora todo um debate sobre o problema da manutenção ou não da candidatura Lula que nós queremos explicar aqui detalhadamente, bom primeiramente a questão do TSE que é muito grave embora já tenha se transformado numa questão banal aqui no Brasil, o TSE ele atua como todos os tribunal brasileiros sob a base das suas preferências e da sua imaginação, eles tomaram a decisão de que o Lula está vetado, não pode aparecer na propaganda no horário gratuito de televisão, o Barroso que é o palhaço mor do TSE, relator da palhaçada chegou a fala e inclusive que tendo sido decidida a questão no TSE o trânsito em julgado estaria completo, que é  uma.coisa que nem estudante de direito do primeiro ano vai aceitar porque todo mundo sabe que todas as decisões do TSE podem ser recorridas ao STF.

Isso tudo é uma coisa extremamente arbitrária, primeiro porque não tem fundamento nem na lei da ficha limpa, o PT soltou uma nota hoje, destacando um faro que é muito importante, que fala que a questão da ficha limpa depende de se há ou não há recurso.cabível, quer dizer não que a pessoas incorrer na ficha Limpa tá fora da eleição. Nem mesmo a lei da.ficha limpa que é uma pai antidemocrática obrigaria tirar o Lula da eleição.

Segundo que a própria ideia que está contida na lei da ficha limpa, de que o julgado em segunda instância é  o que está valendo, contrária a constituição Nacional como já foi dito. A lei da ficha limpa é uma lei ordinária e a Constituição e a lei maior e problema do trânsito em julgado é uma das cláusulas pétreas da Constituição.

Tudo isso tem sido violentado com a maior cara de pau, com a maior tranquilidade, porque esses juízes têm amplo apoio da burguesia e a burguesia domina os principais meios de comunicação do país e esses meios de comunicação ocultam tudo aquilo que eles estão fazendo, então existe uma cortina de silêncio sobre as arbitrariedades, as estripulias legais de todos os juiz e, desde a primeira instância com Sérgio Moro, passando pelo TRF com os juízes no Paraná, indo para as instâncias superiores, até os tribunais eleitorais, embora nós não estejamos acompanhando cotidianamente nesse momento, também o tribunal do trabalho atua da mesma maneira, quer dizer o judiciário virou uma massa compacta, um público político que julga de acordo com uma determinada orientação política, “julga”, toma decisões arbitrárias sem base na lei, mas com base numa determinada orientação política golpista, a orientação política do momento, como nos temos falado desde o começo dessa crise aqui, é procurar fazer com que o golpe adquira uma aparente legitimidade, consolidando a eleição de um candidato majoritário nas eleições de 2018, digamos que essa é  a opção preferencial dos golpistas, se eles não conseguirem realizar isso daí, não vamos ter nenhum tipo de dúvida que dá.mesma maneira que eles pretendiam ganhar as eleições da dona Dilma Rousseff e perderam e deram o golpe, eles podem fazer e vai fazer a mesma coisa nesse momento.

O julgamento de ontem foi mais um show de horrores, passaram por cima de tudo quanto é legislação, o que é fácil de fazer no Brasil, porque no Brasil tem lei para tudo, como dizia o grande escritor Machado de Assis: “preso por ter cão, preso por não ter cão”. Quer dizer, você vai preso de qualquer jeito, se for do interesse e outros não vão presos de jeito nenhum, também de acordo com os interesses estabelecidos”.

Assista também na Causa Operária TV :