Amarelo
A operação serve para tentar colocar um movimento que surgiu contra o golpe a reboque da direita golpista
vista-aerea-de-manifestantes-que-protestam-contra-o-governo-bolsonaro-durante-manifestaca-na-avenida-paulista-em-28062020-1593372540736_v2_1920x1440
Bandeira amarela do "Somos Democracia". | Reprodução.

O jornal golpista Folha de S. Paulo lançou no último final de semana o movimento “em defesa da democracia” pedindo para as pessoas usem a cor amarela. Com isso, o setor mais importante dos golpistas está procurando se apoderar indevidamente de um movimento democrático que seria de oposição a Bolsonaro mas também de oposição ao golpe de Estado.

Esse movimento “amarelo” da Folha visa transformar os golpistas de 2016 em defensores da democracia e colocar as pessoas que lutaram contra o golpe a serviço dos próprios golpistas.

Devemos lembrar que o amarelo foi a cor do golpe. A cor daqueles direitistas que saíram na rua, impulsionados por essa mesma imprensa, pedindo o impeachment de Dilma Rousseff e o ataque contra toda a esquerda. Agora, esses mesmos golpistas querem tomar conta da situação política, com a mesma operação, mas procurando envolver o movimento de luta contra o golpe.

A Folha de S. Paulo e toda a imprensa golpista, que representa a direita tradicional, deram o golpe de Estado, elegeram Bolsonaro, defendem a política de Guedes e já ficou claro, pretendem manter Bolsonaro até 2022.

A operação do “amarelo” da Folha é uma tentativa desses golpistas de recuperarem uma parte do apoio que foi perdido. O objetivo é criar uma aparência democrática para colocar a esquerda a reboque, pois a única possibilidade desse setor recuperar sua base social de classe média é com a ajuda da esquerda. Portanto, a aliança com a esquerda seria apenas um apoio para que eles fizessem um governo de direita, comandado por todos esses golpistas. Isso, logicamente, se a operação for bem sucedida do ponto de vista eleitoral.

A operação do “amarelo pela democracia” é parte da política de frente ampla, que ficou expressa nas articulações em torno do chamado movimento “Direitos Já”. O movimento criado pela Folha procura dar uma bandeira política, na tentativa de agrupar e organizar esse setor.

Nas ruas, esse mesmo movimento da direita tenta transformar o movimento que surgiu para enfrentar os bolsonaristas em um movimento democrático. O movimento chamado “Somos Democracia”, que é apresentado como sendo das torcidas mas que nada tem além de uma camada superficial do que foi o movimento que começou a se mobilizar com os torcedores, apareceu na manifestação com as cores amarelo e azul. Logicamente não há coincidência nisso tudo.

Está claro que o aliado de Guilherme Boulos que essa mesma imprensa apresentou como líder do movimento, Danilo Pássaro (PSOL) está numa operação conjunta para, a serviço da frente ampla, transformar o movimento no movimento amarelo da Folha. Essa é a explicação dos ataques ao PCO, que tiveram origem na tentativa de impor que o partido não levasse bandeiras nas manifestações. O amarelo é uma operação golpista para colocar o movimento de luta a serviço da direita.

Relacionadas