Lucro a qualquer custo
Não existe liberdade para as mulheres ao usar maquiagem, mas sim ao integrar a luta de classes contra os capitalistas que mantêm o povo na miséria e usurpam a classe trabalhadora.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
frida
Frida Kahlo junto à pintura de comunistas |
A marca de cosméticos Quem Disse Berenice anunciou o lançamento de uma linha de maquiagem inspirada na mexicana Frida Kahlo, trazendo nos produtos as características marcantes da artista como o colorido de suas roupas e obras ou o batom vermelho que é um dos seus principais traços. A propósito, o produto central da campanha de maquiagem é justamente o batom vermelho no valor de R$42,00 reais, a coleção conta também com uma paleta de sombras no valor de R$160,00 reais. Ou seja, para obter um batom e uma sombra com a temática da Frida Kahlo, uma trabalhadora que recebe um salário mínimo teria que desembolsar quase 20% do seu salário, sendo obviamente produtos inacessíveis para a classe trabalhadora. No entanto o que chama mais atenção na linha de maquiagem é a demagogia escancarada da empresa capitalista na descrição dos produtos:
Frida, ícone internacional do feminismo, mulher livre e que fez disso seu maior legado com muita autenticidade e determinação. Sua intensidade, expressividade e coragem a tornam uma das figuras mais representativas do universo feminino.
Acreditava que, quanto mais liberdade as pessoas tivessem, mais felizes poderiam ser. Sempre provocadora, ela nos deixa um legado que influencia e causa impacto no mundo todo, independentemente de idade, sexo, nacionalidade ou etnia.
Faz demagogia principalmente ao falar de liberdade, visto que empresas como a Quem Disse Berenice, estão longe de libertar as mulheres, mas garantem que continuem presas. Isto fica muito claro se considerarmos que esta empresa faz parte do grupo O Boticário, comandado por Miguel Krigsner, integrante número 50 na listado dos 58 maiores bilionários do Brasil em 2019 e defensor da política econômica do governo fascista de Jair Bolsonaro. Em entrevista já teceu elogios à Bolsonaro e Guedes:
O Bolsonaro está a fazer muitas coisas boas e está sendo usado como boi de piranha pelas besteiras que ele fala. E isso tem sido usado para desviar a atenção dos avanços que o Brasil tem tido, e o Brasil tem evoluído. O governo Bolsonaro tem pessoas muito boas, como Paulo Guedes. Mas é preciso deixá-los trabalhar. Nos últimos 14 anos este País foi por água abaixo.
Isto é suficiente para entender que os interesses do bilionário que comanda o grupo O Boticário passam distante dos interesses da feminista Frida Kahlo, também era integrante do partido comunista e repudiava o imperialismo.  À vista do comunismo é possível entender que o capitalismo e o imperialismo são verdadeiramente os inimigos das mulheres e o que as aprisiona. Sendo assim, a liberdade e felicidade das pessoas mencionada pela empresa imperialista para fazer demagogia com Frida passa pela destruição do capitalismo e de bilionários como Miguel Krigsner. Isto porque não existe liberdade para as mulheres ou para a classe trabalhadora ao usar uma maquiagem, mas sim na luta de classes que leve os trabalhadores e trabalhadoras ao poder e acabe com as armas que o capitalismo utiliza para manter o povo na miséria enquanto, por exemplo 58 bilionários usurpam o que a classe trabalhadora  explorada por eles produz.
Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas