A culpa não é da Rússia: negros não votaram em 2016 porque EUA é uma ditadura racista

hilary e tramp

Mesmo após dois anos da eleição de Donald Trump para presidente dos EUA, os apoiadores de Hilary Clinton ainda tentam explicar a derrota da candidatura preferencial dos controladores do Estado mais dominador do mundo.

Na nova versão, os  imperialistas abusam do senso de realidade, apontando a Rússia como manipuladora das eleições dentro dos Estados Unidos da América, ou seja, os maiores manipuladores das eleições no mundo todo, teriam sido enrolados pelos russos nas eleições dentro do seu próprio país.

Os russos teriam usado o IRA (Internet Research Agency), sediado em Petersburgo, para influir na cabeça dos americanos, através de mensagens nas redes sociais, buscando atingir principalmente os negros, descendentes de africanos, com a ideia de que os negros não deviam votar em ninguém, ficar em casa, sem participar das eleições.

No fim, aponta que essa tese ridícula, é comprovada pela ausência dos votos dos negros nas eleições, mostrando que aaumentou os votos dos americanos brancos e diminuiu os votos dos eleitores negros.

No entanto, isso não pode ser explicado por nenhuma campanha nas redes sociais, mas pelo fato de que os Estados Unidos é um país que sempre perseguiu o negro.

É o país de onde surge a organização racista da  Klu Klux Klan, como também vários movimentos de negros contra sua opressão a exemplo dos Panteras Negras.

Os negros nos Estados Unidos deixaram de votar, ou não acreditam nas eleições presidenciais desse país, pois conhecem na pele a farsa da democracia americana, e não porque foram cooptados por campanhas nas redes sociais.

Tanto Hilary como Tramp representam a opressão dos grandes capitalistas contra a população trabalhadora dos Estados Unidos, e por isso perseguem o povo negro, que fazem parte da classe operária do país.