Ataque do imperialismo
O Paulista de Jundiaí vencedor do brasileiro em 2005, foi tomado por um clube Suíço e pelo Banco Fator, que o destruíram. Agora o clube esta na 4ª divisão a beira da falência
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
jayme.jpeg
Estádio Jayme Cintra, em leilão devido a falência do clube | Foto: Reprodução

A decadência do capitalismo se expressa em todos os âmbitos da sociedade e portanto não poderia deixar de afetar o esporte mais popular e importante do Brasil, o futebol. A ultima vitima das empresas que visam lucrar com a destruição dos clubes foi o Paulista de Jundiaí, campeão brasileiro em 2005 que agora caiu novamente para a 4a divisão de SP e esta em estado de total falência chegando a rifar medalhas e tentar leiloar o estádio Jayme Cintra. O desastre que ocorreu com o Paulista é um exemplo perfeito de como o imperialismo vem destruindo o futebol nacional.

O Paulista Futebol Clube foi fundado em 1909 e portanto é um dos mais tradicionais times do Brasil, mas a sua história de declínio começou no ano de 2007, após um de seus melhores momentos. Em 2004 foi vice campeão paulista, 2005 venceu a Copa do Brasil e em 2006 jogou na Libertadores da América, assim o clube passou a ser visado pelo imperialismo. Na Suíça, em parceria com Pelé, o Banco Fator e o clube Lausanne Sport iniciaram um projeto de investir 50milhões no Paulista e desta forma tomaram o clube de assalto.

A catástrofe chegou rápido, em 2007 o Paulista foi rebaixado para a série C do Brasileiro, em 2008 foi rebaixado a séria D do nacional, em 2009 foi eliminado na 2a fase da série D do Brasileiro e em 2010 o Lausanne Sport publicou em seu sítio que o projeto estava suspenso e, junto ao Banco Fator, não deu explicações. O diretor financeiro do clube, Wilson Zannata, em 2018 declarou que “Eles tinham experiência em setor financeiro, mas partiram para o futebol contratando um pessoal para gerir o clube e foi um desastre.”

O caso do Paulista de Jundiaí deixa completamente explícito o caráter destrutivo do imperialismo sob o futebol brasileiro. Um time em franca ascensão foi usado por um clube europeu que visava se apropriar dos jogadores brasileiros e gerar lucros para os bancos e, no mesmo ano em que a gestão foi tomada pelos investidores, o clube entrou numa queda meteórica até os dias de hoje em que se encontra em total falência.

A participação de Pelé, o rei do futebol, no projeto é mais uma prova de que o imperialismo não esta disposto a fazer acordos, seu objetivo é destruir o futebol brasileiro. O maior craque de todos os tempos achou que poderia fazer uma parceria com as empresas estrangeiras mas rapidamente descobriu que estas não tem nenhum interesse em aprimorar o futebol nacional, o Clube Lausanne acabou com o projeto sem dar nenhuma satisfação a Pelé e ao Paulista Futebol Clube, deixando apenas um rastro de destruição no futebol de um dos melhores times do interior paulista.

O próprio Pelé, junto a Neymar e todos os melhores jogadores do Brasil são constantemente atacados pela burguesia. Neste mesmo caso do declínio do Paulista o melhor jogador da história recebeu mais destaque na cobertura da imprensa burguesa que o Banco Fator e o Clube Lausanne Sport, os reais culpados pela tragédia. Frente a esta investida é preciso defender o futebol nacional de todos os ataques da burguesia e em especifico uma de suas principais armas o clube-empresa. Abaixo o clube-empresa! Por um futebol popular, controlado pelos torcedores organizados!

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas