500 cidades em extrema-pobreza vão ficar sem médicos por conta de Bolsonaro

brasil-mais-medicos-20150320-003

A saída dos médicos cubanos do país irá deixar milhares de pessoas, em sua totalidade, pobres e trabalhadoras, sem qualquer acesso à saúde. É isso que aponta um levantamento feito pelo Conselho Nacional de Municípios. De acordo com a pesquisa, 577 municípios do país ficaram sem qualquer atendimento médico. A maior parte dessas cidades concentra-se nas regiões norte e nordeste do país, as quais serão duramente afetada pela saída dos médicos.

Segundo a pesquisa, os municípios apresentam população em extrema-pobreza, ou seja, com renda familiar máxima de R$ 77 reais mensais. A pesquisa demonstrou ainda que 1479 municípios do país possuem somente médicos proveniente do Programa Mais Médicos. 80% dessas cidades são de pequeno porte ( com menos de 20 mil habitantes) e se encontram em situação vulnerável, de extrema-pobreza.

A cidade que mais perderá médicos será o município de Granja no interior do estado do Ceará, onde 12 médicos deixaram o programa. No estado da Bahia, 80 cidades perderão todos os médicos. Os dados apontam ainda que com o Programa, o subsídio do governo federal, os municípios puderam ter um investimento de R$ 6,5 bilhões

A saída dos médicos cubanos provocada pela política golpista de destruição da saúde da população pobre do país, imposta pelo golpista Jair Bolsonaro, deixa claro que o presidente ilegítimo da extrema-direita irá aprofundar ainda mais a situação de miséria da maior parte do povo brasileiro. É necessário mobilizar desde já contra esse ataque, por meio da campanha pelo Fora Bolsoanro e pela Liberade de Lula