Efeitos da crise
Segundo relatório do BAD (Banco Africano de Desenvolvimento) cerca de 50 milhões de africanos devem entrar na extrema pobreza em 2020 devido a crise intensificada pela pandemia.
paises-mais-pobres (1)
Cerca de 50 milhões de africanos devem entrar na extrema pobreza devido a crise | Foto: depositphotos

Apesar de ser o segundo continente menos atingido pela pandemia do novo Coronavírus até o momento no mundo, os impactos econômicos da crise capitalista ampliados pela pandemia na África podem deixar até 50 milhões de africanos na extrema pobreza, segundo estimativas do BAD (Banco Africano de Desenvolvimento) em relatório publicado ontem (07). Entre as estimativas básicas até as mais “pessimistas”, os africanos que entrarão na extrema pobreza devem ficar entre 28,2 a 49,2 milhões. A Niigéria, país mais populoso do continente, deve contabilizar entre 8,5 a 11,5 milhões de habitantes na extrema pobreza até o final de 2020.

Segundo a Instituição africana de desenvolvimento de Abidjan a contração econômica no continente deverá ser de 1,7% a 3,4% este ano, e o relatório do BAD prevê ainda a perda de 24,6 a 30 milhões de empregos.

Até o momento no continente, 500.000 pessoas foram contaminadas pelo Coronavírus e quase 11.700 pessoas morreram devido a doença.

Relacionadas