40 anos depois, livro de Abdias Nascimento, “O genocídio do negro brasileiro”, é relançado

abdias

Após 40 anos do lançamento de “O genocídio do negro brasileiro” de Abdias Nascimento, um dos principais teóricos entre a literatura negra, tem seu livro relançado.

O escritor faleceu em 2011 aos 97 anos, deixando um legado extenso na luta do povo negro por meio de um árdua militância contra o racismo e a ditadura militar – onde permaneceu em exílio entre 68-81 – mas fora combativo principalmente dentro de sua área na incensante busca pelo reconhecimento da história contada pelo povo negro.

Neste ano, em comemoração aos 40 anos de seu livro e como maneira de reafirmar sua importância “O genocídio do negro brasileiro” será relançado pela viúva de Abdias, Elisa Larkin Nascimento. Elisa é diretora do Instituto de Pesquisas e Estudos Afro-brasileiros (Ipeafro).

Abdias sempre esteve presente na resistência para que seu trabalho fosse reconhecido, mais do que isso, que a voz do povo não fosse calada. A exemplo disso, está o fato ocorrido quando não pode expor seu texto no Festival Mundial de Arte e Cultura Negras, na Nigéria, onde acabou sendo substituído por outro autor que tratava da democracia racial, enquanto Abdias a criticava.

O livro tráz um grande apanhado a cerca do histórico do povo negro, evidenciando a violência sofrida pela parcela que representa mais da metade da população. Tratando desde a escravidão, Abdias por meio dessa obra prontamente denuncia o genocídio do negro brasileiro.