4 anos da Lava Jato: uma operação golpista de perseguição política

fotodco11.04

No aniversário de um dos episódios mais lamentáveis da história brasileira, o começo da Operação Lava Jato, é importante lembrarmos a dura realidade para setores, que até mesmo se dizem de esquerda, e declaram apoio a iniciativa da Polícia Federal. Não devem haver confusões: a Lava Jato é uma operação golpista, e não serve para mais nada além de ser um instrumento de perseguição política na mão da burguesia imperialista.

Existe a possibilidade muito grande da operação ter sido planejada nos Estados Unidos, o que não seria nem um pouco surpreendente, já que a nossa Polícia Federal é praticamente uma sucursal do FBI. Existem uma série de denúncias e reportagens que explicitam essa ligação íntima dos órgãos de repressão brasileiros com agências de espionagem imperialistas, como a CIA, que estão aqui para defender, do jeito que for possível, os interesses dos monopólios imperialistas.

Sérgio Moro, Marcelo Bretas, Deltan Dallagnol, e demais setores fundamentais da Lava Jato são capachos do imperialismo norte-americano. Foram treinados pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos para realizar uma operação golpista por aqui, com segundas, terceiras e quartas intenções. Além de tudo, não se importam nem em disfarçar, já que vira e mexe são vistos em reuniões e palestras na terra do Tio Sam.

Não é possível mais se deixar iludir pela propaganda golpista da Rede Globo de “luta contra a corrupção”. Isso simplesmente não existe no Brasil. Enquanto houver capitalismo, vai haver corrupção. A corrupção é parte fundamental do modo como o sistema funciona em seu estado atual. O que existe é uma mera desculpa para dar aval a ação criminosa de policiais, procuradores e juízes que atropelam a Constituição a fim de perseguir setores da política nacional que não atendem os interesses dos monopólios imperialistas.