Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
conclat (1)
|

Da redação – A partir de 1981, os trabalhadores brasileiros davam os primeiros passos para a criação da maior central sindical do país, a Central Única dos Trabalhadores (CUT), um passo muito importante na luta operária e frente a decomposição do regime da Ditadura Militar de 1964. Em dois anos de muita luta, chegamos em 1983, com mais de cinco mil delegados e delegadas, representando 1.091 entidades sindicais de todo o Brasil, participando da 1ª Conferência Nacional da Classe Trabalhadora (Conclat), na colônia de férias do Sindicato dos Têxteis na Praia Grande, em São Paulo, entre os dias 21 e 23 de agosto daquele ano, criando assim, oficialmente no dia 28, a central única.

“Na década de 1980, a classe operária brasileira retomou e ampliou, generalizando para todo o País, o ascenso iniciado em 1978 com as greves do ABC, colocando em crise terminal a burocracia sindical criada no regime militar, majoritariamente formada por elementos da mais alta confiança do regime militar (1964-1984) ou por ele tolerados”, afirma o dirigente do PCO, professor Antônio Carlos, na Revista Textos.

A Revista Textos, rodada pela Editora Causa Operária, sempre vendida da Livraria do PCO – que fica no Centro Cultural Benjamin Péret, em São Paulo -, assim como na loja virtual, trouxe há quatro anos, uma publicação de comemoração do aniversário da potente organização, escrita pelo membro do Comitê Central do PCO, o companheiro Tôninho que nos explicou a grande trama por trás dessa história.

“Um verdadeiro turbilhão de oposições sindicais se espalhou por todo o País, expressando e organizando a revolta e o desejo de mudança dos trabalhadores, colocando em xeque direções sindicais conservadoras que agiam para tentar impedir que os trabalhadores recuperassem seus sindicatos para as suas lutas contra os patrões e a ditadura.”

Aquela Conferência, foi o marco inicial para que, dois anos depois, em 28 de agosto de 1983 – data que coincide com o Dia do Bancário -, surgisse a maior arma de luta da cidade e do campo, a Central Única dos Trabalhadores (CUT).

Seguem alguns vídeos sobre a história da CUT:

Aula sobre a criação do PT e da CUT:

 

Programa da TVT em homenagem:

O documentário CUT pela base, filmado à época, é um registro dos debates em torno da formação da Central:

Numa conjuntura parecida com a de 38 anos atrás, a CUT voltará a Praia Grande para o 13º Congresso Nacional da CUT “Lula Livre”, entre os dias 7 e 10 de outubro, com o mote “Sindicatos Fortes = direitos, soberania e democracia”. Agora, é preciso mais uma vez mobilizar os trabalhadores pela liberdade de Lula, preso político da Lava Jato, derrotando assim o golpe e derrubando Bolsonaro com todos os golpistas. Afinal, é para isso que serve o poder de uma central sindical: para lutar pelo interesse político dos trabalhadores, contra a direita e o imperialismo golpista.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Relacionadas