Siga o DCO nas redes sociais

O povo contra os fascistas
29/11/1944: Albânia se liberta da ocupação nazista
A história da libertação da Albânia deixa clara que é a luta de classes o principal motor da história da humanidade
Hoxha_at_Odrican_1944
O povo contra os fascistas
29/11/1944: Albânia se liberta da ocupação nazista
A história da libertação da Albânia deixa clara que é a luta de classes o principal motor da história da humanidade
Jovem Enver Hoxha com o uniforme partisan.
Hoxha_at_Odrican_1944
Jovem Enver Hoxha com o uniforme partisan.

Na historiografia moderna, costuma-se muito negligenciar propositalmente o papel do povo nas mudanças históricas. As classes dominantes, por disputas menores ou maiores entre si, por motivos meramente econômicos assim como acidentes históricos seriam os verdadeiros responsáveis pela moldura do desenvolvimento histórico da humanidade. Descarta-se completamente a luta de classes como fenômeno político e social.

O caso da Albânia mostra como a burguesia apaga o papel das forças populares dos livros. Em 1944, no dia 28 de novembro, o povo organizado em milícias operárias, derrotava o ocupação nazista e o governo fantoche composto pelos líderes fascistas do Balli Kombëtar.

Esse país, cujo dano causado pela Segunda Guerra Mundial está estimado entre os maiores do continente europeu, destruindo 60.000 moradias e deixando 10% da população morando na rua, lutou ferozmente contra a ocupação Italiana (1939-1943), seguida da ocupação nazista do país (1943-1944).

As tropas italianas haviam ocupado o país meses antes da segunda guerra mundial, no dia 7 de abril de 39. Com a guerra entra a Itália e a Grécia, na qual a Albânia foi forçada a participar, e o avanço da Segunda Guerra Mundial, muitos grupos insurgentes surgiram formando milícias operárias antifascistas. A formação de um pequeno Partido Comunista, sob a liderança de Enver Hoxha, veterano da guerra civil espanhola e militante comunista durante os anos que viveu na França, só viria a ocorrer em novembro de 41.

Os comunistas ingressaram nas milícias organizadas e derrotaram diversas tropas italianas. A queda de Mussolini na Itália, provocou um enorme enfraquecimento das forças fascistas no país. Mesmo com a ajuda dos nazistas que ocuparam o país logo em seguida, as vitórias dos partisans no sul acumulavam-se cada vez mais, de modo que com medo de que os comunistas aproveitassem a saída do italianos para tomar a capital, Kosovo, os alemães ocuparam-na usando soldados paraquedistas de maneira relâmpago.

No verão setentrional de 1943, os revolucionários já dominavam por completo o sul do país, e em novembro conseguiram tomar a capital dos nazistas.

Sem a interferência da política stalinista, cuja participação poderia ter levado à derrota total dos comunistas, os albaneses forma adiante e instauraram um Estado Operário, expropriando a burguesia. Mais tarde o regime sucumbiria a burocracia da união soviética e com isso, se dissolveria com o fracasso final dessa política em 1989.