Siga o DCO nas redes sociais

O líder do nacionalismo árabe
28/9/1970: morre Gamal Abdel Nasser
Marcado na história como um dos mais importantes líderes do mundo árabe, Gamal Abdel Nasser faleceu aos 58 anos, no dia 28 de setembro, após intensa luta contra o imperialismo.
jpeg
O líder do nacionalismo árabe
28/9/1970: morre Gamal Abdel Nasser
Marcado na história como um dos mais importantes líderes do mundo árabe, Gamal Abdel Nasser faleceu aos 58 anos, no dia 28 de setembro, após intensa luta contra o imperialismo.
Presidente egípcio Gamal Abdel Nasser. Fonte: ImageForum
jpeg
Presidente egípcio Gamal Abdel Nasser. Fonte: ImageForum

Marcado na história como um dos mais importantes líderes do mundo árabe, Gamal Abdel Nasser nasceu no Egito em 15 de Janeiro de 1918, e faleceu 58 anos depois, no dia 28 de setembro, por ataque cardíaco, em um funeral que contou com a presença de milhões de pessoas na capital Cairo.

Nasser foi fundamental na luta do nacionalismo árabe contra as intervenções imperialistas, o estado de Israel, e buscou durante todo período de seu governo fortalecer a unidade dos povos da região, tentando na prática a criação de um grande estado nacional que unificasse todos os países árabes, uma forma de fortalecer esse povo tão massacrado na luta contra o imperialismo.

Dentre todos os líderes nacionalistas da região, Nasser assumia a figura do principal líder do movimento, sendo fonte de inspiração para diversos setores nacionalistas que almejavam tomar o poder em seus respectivos países. E, mesmo não sendo o representante mais radical do chamado “Pan-arabismo”, foi responsável por conquistas importantíssimas para sua população, como quando ocorreu a nacionalização do canal de Suez.

Tal caso foi um marco do governo de Nasser, nacionalizando o que é um dos mais importantes pontos econômicos da região, e que desde sua construção fora dominado pelos países imperialistas, uma área de fundamental, criada para facilitar o trajeto marítimo de regiões da Europa, Africa e Ásia, possibilitando uma rota muito mais curta, sem a necessidade de se contornar todo continente.

A nacionalização do canal de Suez, dominado sobretudo pelo imperialismo francês e inglês, gerou uma enorme comoção em todos os países árabes, produzindo um aprofundamento da radicalização no nacionalismo, e gerando um avanço na luta pela independência dos povos.

Porém, como já era de se esperar, esta medida não foi aceita pelos países imperialistas, abrindo a famosa crise de Suez, onde o imperialismo inglês e francês, em parceria com o Estado de Israel, invadiram impiedosamente o Egito, em um massacre que custou a vidas de milhões de pessoas, bombardeando cidades e avançando território a dentro.

A resistência egípcia foi gigantesca, tendo por fim, saído vitoriosa devido a grande crise gerada a nível mundial após a invasão, crise que atinge e racha o bloco imperialista, fazendo com que França, Inglaterra e Israel fossem obrigados a retirar suas tropas, o que estabeleceu definitivamente Nasser como presidente do Egito, fortalecendo sua política e seu apoio frente ao povo árabe.

Além disso Nasser foi responsável por uma outra enorme série de nacionalizações, principalmente em resposta a invasão do país. Sua política que havia proporcionado a fundação da República Árabe Unida acabou, devido a crises internas e pressão imperialista, não sendo capaz de atingir todos os objetivos necessários, no entanto, serviu de forte influência para o povo árabe e todos os demais líderes que sugiram após sua morte.