Siga o DCO nas redes sociais

Números do golpe
25% dos brasileiros vivem com menos de R$ 420 por mês
A condição de extrema pobreza desses 13,5 milhões de brasileiros, é equivalente ao total de população de países como a Bolívia, Bélgica, Cuba, Grécia ou Portugal
Números do golpe
25% dos brasileiros vivem com menos de R$ 420 por mês
A condição de extrema pobreza desses 13,5 milhões de brasileiros, é equivalente ao total de população de países como a Bolívia, Bélgica, Cuba, Grécia ou Portugal
Recorde vivendo na condição de extrema miséria, 13,537 milhões de brasileiros.
Recorde vivendo na condição de extrema miséria, 13,537 milhões de brasileiros.

O Brasil atingiu nível recorde de brasileiros vivendo na condição de extrema miséria, 13,537 milhões de pessoas. Um em cada quatro brasileiros não estão na condição de miséria extrema, sobrevivem, no entanto, com até R$ 420 mensais. Esses não são os extremados, mas são miseráveis também.

Um em cada quatro brasileiros vive com menos de R$ 420 reais por mês. 52,5 milhões de brasileiros encontram-se nesta situação. Os números são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados nesta quarta-feira (06) com dados da Síntese de Indicadores Sociais (SIS).

Dentre os 52,5 milhões de brasileiros que vivem com menos de R$ 420 por mês, existem 13,5 milhões de brasileiros que nem isto recebem. Possuem renda mensal inferior a míseros R$ 145.

A condição de extrema pobreza desses 13,5 milhões de brasileiros é equivalente ao total de população de países como a Bolívia, Bélgica, Cuba, Grécia ou Portugal.

O menor contingente de brasileiros na condição de extrema pobreza, foi conseguido no governo do PT, em 2014, quando o percentual de brasileiros nessa condição apresentava o índice de 4,5%.

De 2015 em diante, o índice de brasileiros na faixa de extrema pobreza voltou a subir, 4,9% em 2015, 5,8% em 2016, no ano do golpe, 6,4% em 2017 e no terceiro ano do golpe, a extrema pobreza bateu nos 6,5%, um recorde em sete anos.

2,3 milhões de brasileiros voltaram a integrar a faixa da extrema pobreza, segundo os números do IBGE. O melhor ano da série foi atingido também no governo do PT, em 2014, e ao invés dos atuais 25% da população a viver com os atuais R$ 420, a população da época a integras essa faixa era menor, 22,8%.

Ao invés dos atuais 52,5 milhões de brasileiros com rendimento mensal até R$ 420, a população brasileira nessa faixa era de 48 milhões, em 2014.

O contingente de brasileiros miseráveis, foi acrescido desde 2015 em 4,5 milhões de brasileiros. Tendência que deve perdurar se a direita no governo continuar. Eis aí um expressivo feito do golpe.

O programa Bolsa Família, voltado para a redução da extrema pobreza, está sendo reduzido paulatinamente, o que certamente, fará com que o número do contingente de brasileiros vivendo na extrema pobreza  aumente também.

O porcentual de famílias que recebem Bolsa Família caiu em sete anos, segundo dados do IBGE. No governo PT, em 2012, 15,9% dos lares brasileiros recebiam esse benefício. Ao final de 2018, já no governo do golpe, apenas 13,7% das famílias brasileiras esse modesto programa Bolsa Família recebe.

Em quatro anos de piora na pobreza extrema, mais 4,5 milhões de brasileiros passaram a viver na miséria, a maioria deles de cor preta ou parda, que representam 73% dos brasileiros nessa condição.

Em relação ao período pré-crise, em relação ao governo do PT apeado do poder pelo golpe, Brasil hoje tem mais de 6,7 milhões de pessoas na pobreza. Esses os expressivos feitos do golpe.

Política de miséria para o povo aplicada pelos golpistas. Sob a direita golpista o quadro se agravou, a partir de uma situação histórica que já era muito ruim. É preciso derrotar o golpe de Estado, é preciso lutar pelo fora Bolsonaro.