24 de março de 1976: golpe militar na Argentina derruba Isabel Perón

No dia 24 de março de 1976, o avanço do golpe militar na Argentina firmou suas garras: depôs María Estela Martínez Cartas de Perón, mais conhecida como Isabel Martínez de Perón, a primeira mulher presidenta em um país da América Latina.  Golpe militar na Argentina derruba Isabel Perón 2

Os militares tomaram o poder e foram liderados pelo General Jorge Rafael Videla, pelo Almirante Emilio Eduardo Massera e pelo brigadeiro Orlando Ramón Agosti. Vemos aí representantes do Exército, Marinha e Aeronáutica colocando em prática uma ditadura desmedida e hedionda que durou até dezembro de 1983.

Como em qualquer golpe militar, houve uma intensa preparação com movimentos sucessivos em direção a sua concretização e intensificação posterior, cada vez mais sangrenta.

Bolívia, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai já estavam submetidos à ditaduras militares. O imperialismo não poderia deixar um país com democracia: era parte da chamada Doutrina de seguridade nacional e orquestrada, de forma bem conhecida pelo então Departamento de Estado norte-americano. Como sempre, a palavra segurança aparece em todo contexto golpista e sempre tem a mão, o corpo e toda a força dos Estados Unidos.

O banho de sangue perpetrado continuamente pela ditadura comandada por Videla resultou no assassinato, tortura, prisão e desaparecimento de cerca de 30 mil pessoas.O então Secretário de Estado norte-americano Henry Kissinger apoiou abertamente o golpe em discursos e disse que seria necessárGolpe militar na Argentina derruba Isabel Perón 1ia repressão. William P. Rogers foi mais longe e disse que haveria muito derramamento de sangue e  que o governo golpista deveria caçar os “terroristas”e também os sindicatos e pessoas ligada à estes e aos partidos.

Esse dia na história engendrou todo um derramamento de sangue brutal, a total repressão de toda a classe operária e de qualquer pessoa ou agrupamento que se opusesse a ele. Seguiu diversos golpes militares em toda a América Latina e no Mundo aos moldes do imperialismo.