22 de setembro de 1972 – O presidente chileno Salvador Allende nacionaliza a multinacional ITT.

allende fazendo discurso

No processo de se defender das sabotagens da CIA e do presidente norte-americano Richard Nixon, o presidente chileno Salvador Allende nacionaliza a International Telephone and Telegraph (ITT) em 1972.

A ITT era a empresa que mais investia no processo de privatização na era prévia à presidência de Allende. O governo norte-americano investia no mercado de ações e dominava a empresa e suas dependentes com especulações em torno de 200 milhões de dólares no Chile. O governo de Nixon também tentava expandir a privatização da produção de cobre. Essa indústria também foi estatizada por Allende. Mas a ITT era peça chave da influência do capital imperialista no país.

Antes do governo Allende, a ITT era dona de 70% da Chilteco, a companhia Chilena de telefonia e fundou o El Mercurio, um jornal chileno direitista.

Documentos liberados nos anos 2000, mostraram que a CIA forneceu, através da ITT, 700 mil dólares para o capacho norte-americano no Chile e um dos principais opositores de Allende, Jorge Alessandri. Com mais 1 milhão de dólares recebidos pela CIA, o presidente da ITT investiu todo esse dinheiro na campanha para tentar derrotar Allende nas eleições.

A operação chamada Projeto FUBELT, tentou, imediatamente após as eleições de 1970, derrubar Allende. Muitos dos documentos do projeto e de outras tentativas de golpe no Chile por parte dos Estados Unidos permanecem confidenciais

Em 28 de setembro de 1973, uma bomba foi estourada em um prédio da ITT na cidade de Nova Iorque pelo grupo Weather Underground, devido a participação da empresa no Golpe de Estado de 1973 que colocou o ditador Augusto Pinochet no poder.

Allende foi o primeiro presidente de república e o primeiro chefe de estado, considerado socialista, eleito democraticamente na América Latina