22 de março de 1943: nazistas queimam viva toda a população de Khatyn, na Bielorrússia Soviética

Khatyn_Memorial,_Belarus

Durante a Segunda Grande Guerra – a que os soviéticos (e hoje os russos) chamaram de Grande Guerra Patriótica –, o 118º Schutzmannschaft (batalhão) nazista invade a Bielorrússia. Esse batalhão era formado, sobretudo, por ucranianos colaboradores dos alemães, soldados soviéticos desertores e homens da Waffen-SS.

Os nazistas destruíram mais de cinco mil vilas da Bielorrússia, dizimando quase um quarto da população do país.

Uma reação ao massacre ocorreu no dia 22 de março a cerca de 6 km de Khatin. No ataque, morreu um oficial alemão de alta patente. O batalhão, em represália, tomou a vila de Khatin, acordando todos os seus habitantes e colocando-os num galpão. O galpão foi incendiado com homens, mulheres e crianças dentro. Os que tentavam escapar acabavam morrendo pelas balas das metralhadoras.

Morreram 140 pessoas no massacre. Apenas oito sobreviveram. Mais tarde, identificou-se os colaboradores ucranianos que participaram desse massacre. Foram julgados e condenados à morte.

Em 1985, o diretor de cinema Elem Klimov, realizou o filme Vá e veja, o qual relata o episódio do massacre de Khatin.