O título de Marechal-do-Ar.
Santos Dumont, o pai da aviação mundial, é condecorado com pôsto honorífico de Marechal-do-Ar.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
alberto-santos-dumont
Alberto Santos Dumont |

A vida de Alberto Santos Dumont foi repleta de experiências, descobertas e realizações. O prodigioso inventor não se limitava a observar o mundo, queria, sobretudo, adaptá-lo para atender à necessidades básicas; nesse decurso Dumont conquistou prêmios e protagonizou o primeiro voo impulsionado por um motor a gasolina.

Engenhoso e inovador, sua casa em Petrópolis-RJ é a prova viva de sua mente criativa: as escadas, o banheiro, tudo foi pensado e desenvolvido para facilitar seu uso, ampliar suas potencialidades. Seu êxito, embora, de maior envergadura fora o voo. Dumont foi o primeiro a construir e voar com balões dirigíveis com motor a gasolina; depois veio o avião: Santos Dumont foi o primeiro a decolar a bordo de um avião impulsionado por um motor a gasolina, quando em 23 de outubro de 1906 voou cerca de sessenta metros a uma altura de dois a três metros com o “ave de rapina”. Esse, portanto, foi o início da aviação, o experimento audacioso que mudou de forma intrínseca as possibilidades do homem.

Dando sequencia às realizações obtidas por Santos Dumont, este diário rememora a data em que o pai da aviação mundial foi condecorado com o posto honorífico de Marechal-do-Ar. Para isso o Diário Causa Operária reproduz decreto do Congresso Nacional, sancionado pelo então presidente Juscelino Kubitschek.

LEI No 3.636, DE 22 DE SETEMBRO DE 1959.

Concede ao Tenente-Brigadeiro-do-Ar Alberto Santos Dumont o pôsto honorífico de Marechal-do-Ar.

O Presidente da República,

Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1º É concedido ao Tenente-Brigadeiro-do-Ar Alberto Santos Dumont o pôsto honorifico de Marechal-do-Ar.

Parágrafo único. No Almanaque do Ministério da Aeronáutica, para o efeito desta lei, será, feita, em caráter permanente, a devida alteração.

Art. 2º Esta lei entrará, em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Rio de Janeiro, 22 de setembro de 1959; 138º da Independência e 71º da República.

JUSCELINO KUBITSCHEK.

Francisco de Mello.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas