Colômbia
O ano começa do jeito que terminou para no interior do país. Um verdadeiro banho de sangue de líderes populares e ex-combatentes das FARC.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Colômbia - protesto - Cauca
Protesto em Cauca em abril de 2019. | Foto por: reprodução.

O ano de 2021 mal começou e organismos que acompanham os dados da violência no país, registraram o assassinato de três (3) pessoas, em geral na zona rural.

Na sexta (01) foi assassinada Yolanda Zabaia Mazo em Briceño, Antióquia e Gerardo León em Puorto Gaitan Meta, no sábado (02), Duvan Aled Galíndez em Cartagena del Chairá, Caquetá. Zabaia e Duvan eram ex-combatentes das FARC-EP.

Galíndez, foi atacado por uma pessoa que o seguiu, atirando-lhe à queima-roupa. Chegou a ser socorrido para o hospital do município, mas não resistiu aos ferimentos.

Ao todo já foram assassinados 251 ex-combatentes das FARCs, desde que foi assinado um pretenso acordo de paz a partir do qual a guerrilha foi abandonada e as armas entregues.

Líderes de movimentos populares também têm sido perseguidos e assassinados praticamente diariamente. Massacres que estão ligados às milícias fascistas ligadas ao governo de Ivan Duque e aos Estados Unidos que, intervém diretamente no país.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas