Médicos cubanos lamentam saída do Brasil por impacto nos mais pobres

“Sabemos que muita gente vai chorar, pessoas que talvez nunca mais terão um médico, pelos complexos lugares onde vivem e a difícil situação ali existente”, disse a médica Estela Luna. E recordou que nenhum médico brasileiro queria trabalhar nesses territórios açoitados pela pobreza.

Médicos cubanos no Brasil: pôr condições à vida?

O programa Mais Médicos alcançou as populações da Amazônia, as regiões semiáridas e, ao mesmo tempo, as áreas rurais de difícil acesso e a periferia das grandes cidades. Em todos esses lugares, lá estavam os médicos cubanos

Fora Bolsonaro: quem deve ser expulsa é a direita golpista, não os médicos cubanos

É preciso deixar claro que foi Bolsonaro e a extrema-direita golpista os que expulsaram os médicos cubanos do Brasil. Desse modo, cerca de 28 milhões de brasileiros – majoritariamente a população mais pobre do País, que sempre, antes da chegada dos cubanos, havia sido deixada para morrer sem qualquer cuidado de saúde – voltarão a ser tratados como indigentes, sem acesso a uma saúde minimamente digna