1984 privatizado: Facebook organizou sistema que permitiu a empresas coletar informações sobre todos 2 bilhões de usuários

folha-facebook

Quase um terço da população da terra (dois bilhões de pessoas) tiveram pela rede social Facebook informações pessoais como email, telefone e localização geográfica vazadas por aquilo que os representantes da rede chamaram de “agentes maliciosos”. Essa informação pôde ser deduzida sem sombra de dúvidas por nota pública feita pelo próprio Facebook.

Na nota, rede social informa que a maior parte dos seus usuários pode ser achada por uma busca direta por número de telefone no campo  de busca do site. O “detalhe” de que isso comprometia a privacidade de quase 100% dos usuários foi apontado no twitter pelo jornalista Matt Burgess da Wired.

Há indícios de que essas informações privadas, além de servirem para alimentar bancos da dados com finalidades eleitorais (como foi revelado no recente escândalo da Cambridge Analytica) , também eram vendidas a peso de ouro no que se convencionou chamar de dark web, para fins de golpes e chantagens. No intuito de alertar os seus usuários para configurar corretamente as “opções de privacidade” o Facebook acabou revelando a grande mina de dados que estava a aberta para uso de quem se dispusesse a minerar.