1929: capitalismo nas cordas, trabalhadores não deram nocaute, saiba por que na Universidade de Férias

A Grande Depressão de 1929 pode ser resumida em um dos seus aspectos mais fundamentais, uma extraordinária retração da produção mundial, (exceto a URSS e o Japão). Todavia, as crise que o capitalismo havia enfrentado até aquele momento também apresentaram a mesma característica, como a crise de 1920-1921. Mas a crise de 1929, a Grande Depressão, foi diferente de tudo que se havia visto até então. Em 1929 o capitalismo entrou em colapso. O significado histórico da crise de 1929 e que os liberais procuram esconder a todo custo é que essa crise marca a derrocada completa do sistema capitalista, que se encontra cada vez mais debilitado e mais próximo do seu fim.

Com um rápido crescimento econômico dos EUA após a Primeira Guerra Mundial, sobretudo, entre 1927 e 1928, por conta dos investimentos e exportações do EUA para a Europa, a produção industrial norte americana viveu um período de boom. OS EUA passam a ser a primeira economia do mundo com um tipo de capitalismo totalmente desregulado. No entanto, o capitalismo norte-americano e mundial  começava a dar sinais de instabilidade e insegurança.

No dia 24 de outubro 1929 ocorreu o Crash da bolsa de Nova Iorque, o que marca o início da Grande Depressão. Neste dia 12 milhões de ações são postas à venda, o que leva a queda extraordinária do preço das ações e a falência de instituições financeiras. A crise que começa nos EUA vai atingir o mundo inteiro.

Toda a crise capitalista é uma crise de superprodução, é uma expressão da contradição básica do capitalismo entre o capital e o trabalho, mais precisamente entre a concentração da riqueza de um lado e da miséria de outro. A economia capitalista norte-americana que vinha crescendo e aumentando a produtividade encontrou um limite, o mercado consumidor, porém o crescimento industrial permaneceu, em um determinado momento o nível de produção fez com que a preço dos produtos caísse drasticamente, o dólar que invadia o mercados internacionais se desvalorizou e atingiu inúmeros países que tinham como base monetária o dólar conversível em ouro. Em suma a crise foi generalizada e suas consequências gigantescas.

O desemprego aumentou enormemente, a miséria cresceu, empresas quebraram e  a produção mundial despencou, caiu a um terço. O capitalismo estava na cordas faltou a classe operária o golpe para levá-lo a lona. E este golpe viria da Alemanha. Quer compreender de conjunto a significado histórico da crise de 1929 para a capitalismo internacional?

Quais as causas da crise econômica capitalista? E  as crises econômicas posteriores tem relação com ela ? A Segunda Guerra Mundial foi produto da crise econômica capitalista?

Venha saber na 41ª Universidade de Férias do PCO e acampamento da Aliança da Juventude Revolucionária (AJR).

Nesta edição que comemora 20 anos de formação teórica marxista, estudaremos a crise histórica do capitalismo: do surgimento do imperialismo ao neoliberalismo. Com a coordenação e apresentação do companheiro Rui Costa Pimenta, presidente nacional do Partido da Causa Operária, jornalista,  militante e dirigente revolucionário, profundo conhecedor do marxismo e da história política internacional.

Não perca! Venha para a 41ª Universidade de Férias do PCO.

Entre em contato, acesse o site do evento clicando aqui