Siga o DCO nas redes sociais

II Guerra Mundial
16/09/1944: FEB ocupam Monte Castello na Itália
Mesmo com algumas baixas, a Força Expedicionária Brasileira conquistou Monte Castello e fez mais de 20 mil prisioneiros.
2007.048.091_1
II Guerra Mundial
16/09/1944: FEB ocupam Monte Castello na Itália
Mesmo com algumas baixas, a Força Expedicionária Brasileira conquistou Monte Castello e fez mais de 20 mil prisioneiros.
Força Expedicionária Brasileira. Foto: Alexandre Manfrim/MD
2007.048.091_1
Força Expedicionária Brasileira. Foto: Alexandre Manfrim/MD

Com mais de 25 mil homens, a Força Expedicionária Brasileira (FEB) conquista a luta de Monte Castello, na Itália, a partir da ocupação do local em 16 de setembro de 1944, até 2 de maior de 1945, quando o Exército norte-americano dá a ordem de cessar fogo. Um tempo depois da ocupação e após quatro tentativas frustradas pelos alemães, em fevereiro de 1945 a FEB finalmente conquista Monte Castello, essa operação ficou conhecida como Encore, que significa “de novo” em francês. Às 17h50 daquele dia, Emílio Rodrigues Franklin anunciava pelo rádio: “Estou no cume do Castelo.

Contudo, os brasileiros ainda tiveram que enfrentar o implacável inverno dos Montes Apeninos, onde as temperaturas chegavam a -15º, além dos constantes ataques de fogo dos inimigos. Durante grande parte do inverno, os alemães conseguiram ganhar as posições da FEB, fazendo com que a tropa brasileira precisasse encobrir seus movimentos sob a proteção de um nevoeiro artificial criado a partir da queima de óleo diesel.

No fim das contas, a FEB teve 443 baixas entre soldados e oficiais, 8 aviadores abatidos em combate tanto no Norte quanto no Sul da Itália e cerca de 3 mil feridos enviados para os hospitais da retaguarda. Mesmo assim, conseguira fazer 20.573 prisioneiros, dentre eles dois generais: Otto Fretter e Mário Carloni. Neste período, o lema “A cobra está fumando” ficou em evidência durante toda a campanha da guerra, isso porque contradizia o dito popular que era “mais fácil uma cobra fumar do que o Brasil entrar na guerra.”