14 de março de 1903: Senado dos EUA ratifica tratado da construção do Canal do Panamá, que violou a soberania colombiana

DJICVRZXoAAM-sV

Em 14 de Março de 1903 o Senado norte-americano ratificou o Tratado de Hay-Herram, pelo qual os Estados Unidos adquiriram o direito sobre uma faixa de 6 milhas, durante 99 anos, e que poderiam ser renovados, no Panamá, que então fazia parte do território da Colômbia. O acordo se firmava por uma módica quantia de 10 milhões de dólares e 250 mil dólares mensais.

O acordo dizia respeito ao que seria o Canal do Panamá, ainda inconcluso na época, que liga o oceano Atlântico, através do mar do Caribe, ao oceano Pacífico, que interessava sobremaneira as grandes corporações norte-americanas para escoar a produção para a Ásia. Contudo, o Congresso Colombiano não ratificou o acordo, que era evidentemente um atentado a sua soberania.

O interesse  econômico dos Estados Unidos em concluir o canal se sobrepôs, evidentemente. Sem qualquer tentativa de renegociação com a Colômbia, os Estados Unidos dividiram o país, apoiando um movimento de independência e colocando navios de guerra em águas panamenhas para impedir a reação da Colômbia.

Roosevelt, presidente dos Estados Unidos, impulsionou e apoiou movimento independentista, a 03 de novembro de 1903 o Panamá decreta independência e, imediatamente após, permite o controle da região pelos norte-americanos, nos termos do acordo Hay-HerranEm 1904 deu-se início a obra, só concluída 10 anos depois, sendo inaugurada oficialmente em 15 de agosto de 1914, com tráfego naquele ano de 1000 navios.

A abertura do canal do Panamá era um grande desafio a engenharia da época, pois implicou na drenagem do Rio Chagres, sem contar as difíceis condições de trabalho, onde trabalhadores eram expostos a doenças como malária e febre amarela. Os pioneiros foram os Franceses em 1878, só terminado pelos Norte-Americanos em 1914. Um empreendimento de grande lucratividade para os Estados Unidos e praticamente nada para o Panamá, um exemplo de exploração colonial.

Os EUA controlaram a zona do canal do Panamá até 1977, quando o controle passou para próprio país, o Panamá.