Peronismo
Neste sábado dia 14 de novembro de 2020, completam-se 100 do nascimento de John William Cooke, líder de uma das alas de esquerda mais radicais do peronismo
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
John-William-Cooke-portada-02 (2)
John William Cooke, nascido a cem anos em 14 novembro de 1919. | Foto: Reprodução

Neste sábado dia 14 de novembro de 2020, completam-se 100 do nascimento de John William Cooke, líder de uma das alas de esquerda mais radicais do peronismo.  Do seu exílio durante a ditadura militar argentina de 1955, Juan Domingo Perón chegou, em carta, a nomear John William Cooke como representante do Movimento Justicialista Nacional.

Cooke nasceu na cidade La Plata, em uma família de tradição política, durante sua formação no curso de Direito na Universidade Nacional de La Plata militou na União Universitária Intransigente. Suspeitasse que nesse período ele tenha tido contato com a Força de Orientação Radical da Jovem Argentina. Profissionalmente além de político e advogado, Cooke  lecionou  Economia Política na Faculdade de Direito e Ciências Sociais da Universidade de Buenos Aires. Cooke faleceu de câncer em 1968 no Hospital de Clínicas da Cidade de Buenos Aires. A seu pedido suas cinzas foram espalhadas no Rio de la Plata em 26 de setembro de 2014.

Diplomado em 1943, logo em sequência com 25 anos seria eleito deputado pelo Movimento Justicialista Nacional, para o período de 1946 a 1952. Em sua atuação parlamentar chegou a ser  Presidente da Comissão de Assuntos Constitucionais da Câmara dos Deputados, da Comissão de Redação do Código da Aeronáutica e da Comissão de Proteção dos Direitos Intelectuais. Cooke defendia que o peronismo deveria se torna um movimento revolucionário e criticava a chamada burocracia sindical, que havia crescido muito e se tornado um braço forte do peronismo ortodoxo. 

Cooke foi o escolhido por Perón para discursar no congresso pedindo o fechamento do jornal de oposição La Prensa. Em seu pronunciamento denunciou que o jornal La Prensa era o porta-voz  de de uma grande coalizão oligárquica entre latifundiários, empresários do Porto de Buenos Aires e a United Fruit Company contra o governo peronista. Pelas colocações anti-imperialistas de seu discurso, Cooke foi acusado de comunista pelo peronista ortodoxo Raúl Apold.

Em face ao golpe militar Cooke foi um dos primeiros dirigentes peronistas a organizar grupos de resistência, sendo por logo perseguido e preso. Ficando encarcerado de 20 de setembro de 1956 a 18 março de 1957, quando consegue escapar junto com outros presos políticos e fogem para o chile.

Nesse pequeno recorte histórico chega a transparece a amplitude das forças que compunham o peronismo ou Movimento Justicialista Nacional e apoiavam Juan Domingo Perón. Havendo em suas fileiras de indivíduos neoliberais aos mais radicais confundidos com comunistas.

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas