14/01/1974: Ditador Ernesto Geisel é nomeado presidente do Brasil

No dia 14 de janeiro de 1974, o general Ernesto Geisel foi escolhido presidente da República por eleição indireta.

A candidatura de Geisel foi definida em convenções partidárias da Arena (Aliança Renovadora Nacional) em setembro de 1973. Geisel teve como vice Adalberto Pereira dos Santos e concorreu com o candidato do MDB, Ulysses Silveira Guimarães que teve como candidato a vice, Barbosa Lima Sobrinho.

A eleição contou apenas com 503 eleitores dos quais 310 deputados federais, 127 representantes das Assembleias Legislativas dos estados e 66 senadores. Na votação compareceram 497 pessoas.

Ditador Ernesto Geisel

Geisel ganhou com 84% dos votos, 400 votos no total contra 16% para Ulysses Guimarães, 76 votos.

Ernesto Geisel entrou na presidência cinco anos após a instituição do Ato Institucional no. 5 que aumentou a repressão estatal contra os movimentos organizados contrários à ditadura. Ele assumiu em 15 de março de 1974. em seu governo houve um abrandamento da linha-dura aplicada anteriormente. Como os movimentos guerrilheiros foram praticamente extintos no governo anterior Geisel acabou extinguindo o AI-5. Mas a repressão continuou durante o seu governo. O jornalista Vladmir Herzog foi assassinado na prisão durante o seu governo.

Durante a ditadura ele foi Chefe da Casa Civil Militar, General do Exército e Ministro do Superior Tribunal Militar no governo de Castelo Branco. No governo de Emílio Médici foi nomeado presidente da Petrobrás. Sua candidatura em 1974 foi apoiada diretamente por seu irmão, Orlando Geisel que era Ministro do Exército.  Governou até 1979.