Trabalho escravo
13 trabalhadores da construção civil estavam trabalhando em condições análogas à escravidão pela empresa Prumo de Ouro na cidade de Três Lagoas, no Mato Grosso
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Edione
Trabalhadores em condição escrava | Foto: Reprodução

13 trabalhadores da construção civil denunciaram que são mantidos em condições análogas à da escravidão pela empresa Prumo de Ouro empresa terceirizada pela Sial, na cidade de Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul. Os trabalhadores que são das cidades de Guanambi e Malhada da Bahia, estavam construindo um hospital em Três Lagoas.

Segundo os trabalhadores, eles não recebem há 45 dias, não têm nenhuma condição para dormir, já que os alijamentos são improvisados e feitos por eles mesmos sem nem mesmo ter colchões ou travesseiros e não têm a garantia de sua alimentação diária.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas