Dia de Hoje na História
A expulsão de Leon Trotsky é um capítulo importante da consolidação da dominação da burocracia stalinista sobre o Partido Bolchevique e a classe operária.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Leon-Trotsky
A expulsão de Leon Trotsky do PCURSS significa o avanço do Termidor no país da Revolução de Outubro. | Reprodução.

A expulsão do revolucionário Leon Trotsky e o esmagamento da vanguarda proletária do Partido Comunista da União Soviética (PCURSS) significam o avanço do Termidor, isto é, de um recuo político sem a restauração do antigo regime no país da Revolução de Outubro.

O processo de ascensão da burocracia no interior do PCURSS se intensifica com a morte de Lênin, no ano de 2024. Com Stálin à cabeça, a burocracia já conspirava para tomar por dentro o partido bolchevique e o Estado Operário. A morte do principal dirigente revolucionário fez com que os planos golpistas da burocracia se acelerassem. A Troika, uma fração secreta formada por Stalin, Zinoviev e Kamenev no interior do Partido, preparava o terreno para a luta política contra os revolucionários bolcheviques.

A campanha contra o “trotskismo”, responsável por uma quantidade gigantescas de mentiras e calúnias contra Trotsky, foi lançada na imprensa para permitir que a burocracia avançasse na luta contra a ala esquerda do partido bolchevique, encabeçada por Trotsky e a Oposição de Esquerda. Por uma série de manobras burocráticas e controlando os órgãos de repressão do Estado Operário, o stalinismo consolidou sua dominação política sobre o conjunto do Partido e sobre a classe operária.

O problema é que a política da burocracia stalinista centrista era caracterizada por zigue-zagues, que levaram à derrota da Revolução Alemã, da greve geral na Inglaterra e no massacre dos comunistas na Revolução Chinesa. As derrotas no âmbito internacional da classe operária fortaleceram a burocracia, que adota a teoria do socialismo em um só país. Em contraposição, Trotsky defendia a teoria da Revolução Permanente, que dizia que a revolução começava no terreno nacional, se desenvolvia na arena internacional e terminava em âmbito global. A Revolução de Outubro era só um pontapé para a revolução mundial e não era possível a existência de um regime socialista em um único país cercado por países capitalistas hostis.

As perseguições de militantes oposicionistas têm início no período posterior à morte de Lênin. A acusação feita contra os oposicionistas era a de que estes quebravam a disciplina partidária, formavam frações e colocavam em risco o regime da ditadura do proletariado. No ano de 1927, logo após um congresso partidário, Trotsky e diversos militantes da Oposição são destituídos de seus cargos e expulsos do PCURSS.

A partir do momento da expulsão dos oposicionistas, a repressão política se intensifica ainda mais no interior do Partido Comunista. Prisões e deportações massivas são levadas a cabo contra estes. A burocracia stalinista se utilizava de diversos métodos para forçar a capitulação política dos oposicionistas, como demitir de seus cargos, transferir para lugares inóspitos, colocar sob vigilância da GPU. Nos anos 1930, o tratamento dado aos oposicionistas “trotskistas” será o extermínio físico em massa e o encarceramento nas prisões políticas.

Trotsky não capitula frente à implacável perseguição do stalinismo. O combate pela política correta e pela restauração da democracia operária no Estado Soviético e no Partido Bolchevique são suas bandeiras de luta.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas