Sem auxílio e desamparados
Dos 11 milhões, 5,7 milhões estão na primeira análise e 5,3 milhões em reanálise, que são os trabalhadores que tiveram seus benefícios negados e entraram com novo pedido.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
49746760146_53501abf1f_k
11 milhões de tralhadores aguardam ainda a primeira parcela do auxílio emergencial. | Foto: Leonardo Sá/Agência Senado

Segundo a Caixa Econômica Federal, 11 milhões de trabalhadores ainda estão na fila de espera para terem seus auxílios emergenciais aprovados, onde 5,7 milhões estão na primeira análise e 5,3 milhões em reanálise, que são os trabalhadores que tiveram seus benefícios negados e entraram com novo pedido. Ainda sobre os dados, estima-se que 106,3 milhões de cadastros foram realizados.

O número que já é realmente alto, ainda ignora os milhões de brasileiros que não conseguiram nem ao menos terem acesso ao pedido do benefício, pois não tem condições de acessarem a internet, ou estão sem documentação, ou seja, uma população que realmente precisa ainda continua completamente desamparada pelo Estado, sem ter acesso a pelo menos o valor mínimo de R$600 para sobreviverem a pandemia e a crise econômica.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas